quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Gazeta da BD #67 – Na Gazeta das Caldas – A Edição portuguesa de BD em 2016

Excerto da ilustração de Ricardo Cabral 
para o cartaz das 1ªs Conferências de Banda Desenhada em Portugal, Setembro de 2011
Gazeta da BD #67
Na Gazeta das Caldas
A Edição portuguesa de BD em 2016

Depois de publicado este meu texto na Gazeta das Caldas em 13 de Janeiro, dei com outros números das edições portugueas de BD em 2016, no blogue de Pedro Cleto que, no post com o título 
2016: Crescimento e Consolidação (http://asleiturasdopedro.blogspot.pt/2017/01/2016-crescimento-e-consolidacao.html), refere que foram publicados 205 livros de BD no ano passado. Recomendo vivamente a sua leitura, uma vez que além do texto de análise, apresenta gráficos esclarecedores sobre a edição de BD neste país!

Faltavam portanto 62 títulos à minha lista, fui pois à procura desses títulos e na intensa pesquisa que realizei, encontrei 225 livros editados, ou seja, mais 82 dos que tinha contabilizado para o texto publicado na Gazeta e, mais 20 do que Pedro Cleto refere.

E, eventualmente, ficaram a faltar-me ainda alguns títulos. Refiro, já agora, que a Devir foi o único editor que não respondeu ao meu pedido de uma listagem de livros editados em 2016. Assim, ainda é mais difícil realizar este tipo de análise.

Aqui fica então o texto publicado, mas com os números já corrigidos e a que acrescentei uma listagem de editores e livros publicados.

A EDIÇÃO PORTUGUESA DE BD EM 2016
225 ÁLBUNS EDITADOS 
SENDO 35 DE AUTORES PORTUGUESES


É difícil realizar uma listagem de todos os álbuns de BD editados em Portugal anualmente, mas chegámos a alguns resultados para 2016. A dificuldade está em que, sendo todos (ou quase todos) os álbuns referenciados na internet, muitos deles, especialmente os editados por pequenos editores, não apresentarem as datas de edição.

Só à conta da distribuição com o jornal Público, as editoras Asa e LeVoir publicaram 63 títulos durante o ano, beneficiando da promoção nas páginas do jornal, não só com artigos de fundo sobre as colecções, assim como a publicidade garantida todos os dias, anunciando o próximo álbum a ser distribuido.

Esta iniciativa do Público tem uma história interessante e que, porventura, a maior parte dos bedéfilos nacionais não conhecerá. O projecto começou em 2003, quando a catalã Silvia Reig, responsável pelo marketing do jornal Público, deu início a uma aventura que continua ainda hoje, decorridos catorze anos, sendo responsável por dezenas de álbuns de BD editados, primeiro pela Verbo, depois pela ASA, a que se juntou mais tarde a LeVoir, fundada pela própria Silvia Reig em 2010.

Na génese do projecto esteve também o jornalista Carlos Pessoa que, com o seu conhecimento do mercado editorial de BD, foi essencial para o desenvolvimento das coisas. Deste modo o Público começou por distribuir uma colecção de álbuns de As Aventuras de Tintin, editada pela Verbo, a partir de Novembro de 2003, da qual foram vendidos cerca de 50 mil álbuns. Um recorde absoluto em vendas de BD neste país! O jornalista refere também que o livro de que foi autor e que acompanhou o lançamento da colecção, As Aventuras de Tintin no Público – Guia de Leitura, vendeu só por si 35 mil exemplares “(...) o que é notável para um álbum que fala sobre BD mas não tem bandas desenhadas e muito poucas imagens – apenas as capas dos álbuns”. Seguiram-se, com distribuição do Público, em 2004, As Aventuras de Corto Maltese, com álbuns editados pela Meribérica, que já não atingiram sequer os 20 mil exemplares nas vendas, o que não deixa de ser também notável.

Apesar de não me ter sido possível (por falta de respostas) saber qual a média de vendas das actuais colecções distribuídas com o Público, podemos sempre pensar que elas são muito mais altas do que as das outras edições (normais) nesta área.

Em 2016, além das séries Super Heróis DC, Novelas Gráficas 2 e Sandman, num total de 41 títulos, a LeVoir editou também mais dois ou três álbuns, entre eles A Casa, de Paco Roca, livro ao qual tinha sido atribuido, em Maio, o Premio Nacional del Cómic 2015 no país vizinho. As edições Asa contribuiram também para as colecções do Público do ano, com 22 títulos.

Os restantes 20 editores foram responsáveis pela colocação no mercado de mais 79 álbuns (32 de autores portugueses), o que proporcionou uma “enchente” de 142 títulos de BD no mercado nacional. Como foi a primeira vez que abordei este assunto, não faço ideia como foram os anos anteriores, para comparação.

Claro que nenhum editor consegue uma distribuição tão abrangente no território português como o Público. Daí que muito raramente se consigam encontrar títulos editados por pequenos editores em cidades medianas, como Caldas da Rainha, onde apenas encontrei (para além das distribuições com o Público), Democracia, editado pela Bertrand e Vampiros, pela Tinta da China. Isto mesmo existindo nesta cidade uma Livraria Bertrand, no Centro Comercial La Vie.

O quadro geral de álbuns editados em 2016, de que consegui informação, foi portanto o seguinte:
Asa/Público – Colecção Bernard Prince – 4 (completando em Janeiro de 2016 a série iniciada no ano anterior).
LeVoir/PúblicoColecção Super Heróis DC – 15
Asa/PúblicoColecção Jonathan – 10
LeVoir/PúblicoColecção Novela Gráfica 2 – 15
LeVoir/PúblicoColecção Sandman – 11
Asa/PúblicoColecção Os Túnicas Azuis – 8 (o resto da colecção continua em Janeiro de 2017)

Tudo isto somado traduz-se portanto num total de 225 álbuns publicados – cerca de 19 livros/mês –, sendo 39 de autores portugueses – cerca de 3 livros/mês.

Aqui fica a listagem por editores

Espero que no final deste ano de 2017 consiga uma listagem mais pormenorizada e fiável de toda a banda desenhada editada em Portugal.

Tenho que agradecer aos seguintes blogues ou sites, a quantidade de informação, que os seus autores/editores publicam diariamente (ou quase) e que me forneceram muitas das pistas para encontrar e/ou datar muitas das edições:



___________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page