segunda-feira, 17 de julho de 2017

Gazeta da BD #76 - HERÓIS DA BD PORTUGUESA – 8 PITANGA, BARBEIRO A DOMICÍLIO DE ARLINDO FAGUNDES

 Gazeta da BD #76 – 7 de Julho de 2017

HERÓIS DA BD PORTUGUESA – 8 
PITANGA, BARBEIRO A DOMICÍLIO 
DE ARLINDO FAGUNDES

EM EXCLUSIVO NESTE POST A HISTÓRIA
PITANGA - QUEM VEM E ATRAVESSA O RIO
de Arlindo Fagundes (arg.) e Pedro Sousa Dias (des.)

Pitanga, barbeiro a domicílio é uma personagem criada por Arlindo Fagundes em 1985, cuja primeira história, intitulada La Chavalita, foi pré-publicada no jornal O Diário, tendo depois uma versão a cores publicada no Jornal da BD em 1986. Esta história seria mais tarde editada em álbum pela Editorial Caminho. Neste título inaugural surge como personagem o cantor António Variações, também ele barbeiro. Fagundes contactou com Variações quando estava desenhar a história, mas o cantor morreu antes de a poder ver realizada. La Chavalita é uma história negra, com o autor a avisar logo de início que muita gente iria morrer. Pitanga desloca-se na sua inseparável mota e, quando a conduz a altas velocidades, o autor cria um curioso jogo visual com o longo cachecol do protagonista, que é uma espécie de imagem de marca destas histórias.

Em 1991 Fagundes escreveria o argumento de Quem vem e atravessa o Rio, uma história de 10 páginas, que seria desenhada por Pedro Sousa Dias e que foi pré-publicada no Fanzine Pedra Pomes #1, em Julho de 1991 – um dos antecessores do BDjornal. A história decorre na cidade do Porto e seria publicada em definitivo na revista Quadrado #3, da Associação de Banda Desenhada do Porto em 1996. Na revista de pequeno formato Quadradinho, da mesma Associação, seria publicada mais tarde a história Parabéns a Você, já em 1997.

O álbum A Rapariga do Poço da Morte, 2003 publicado pela Caminho, foi apresentado na Bedeteca de Lisboa, onde esteve patente a exposição A Navalha de Pitanga. O herói terá ainda um terceiro álbum, O Colega de Sevilha, nos inícios de 2015, (pelo que me disse Geraldes Lino, esta história ainda não foi publicada). Desta vez a cores, foram aplicadas por José Pedro Costa. Entretanto foram publicadas histórias mais curtas, como Pitanga e os Animais (sete pranchas) n’O Mosquito, em 1985 e Pitanga e o Paradoxo do Barbeiro no Mundo Universitário em 2007.

O estilo gráfico destas histórias é indubitavelmente o do Corto Maltese de Hugo Pratt, do qual Fagundes é um apreciador indefectível.

Sobre o autor diremos que Arlindo Fagundes nasceu em Ovar, a 3 de Julho de 1945. A sua formação inclui a passagem pela Sociedade Nacional de Belas Artes, onde frequentou o curso de Desenho e Pintura, depois a Escola Superior de Belas Artes, onde foi aluno do curso de Pintura, isto para além da frequência do Conservatoire Libre de Cinéma Français, onde se diplomou como realizador de cinema em 1973, durante o seu exílio em França (1967-1974). Aderiu ao Partido Comunista Português em 1968. Fagundes nasceu em Ovar, a 3 de Julho de 1954 e a sua formação, de que citámos acima um percurso genérico, permitiu-lhe exercer várias profissões ligadas à artes plásticas e cinematográficas. Depois do exílio regressou a Portugal já após o 25 de Abril, tornando-se um ceramista de renome, para além de ilustrador e autor de banda desenhada. Como ceramista foi agraciado com o 1º Grande Prémio de Design Artesanal da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira em 1987. Reside em Prado – Santa Maria, no distrito de Braga. Colaborou como caricaturista em vários jornais regionais, mas o seu mais conhecido portfólio é o trabalho para editorial Caminho, com as capas e ilustrações da colecção Uma Aventura, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada e também, das mesmas autoras, da colecção Viagens no Tempo. Foi docente da Escola Profissional de Braga, leccionando também na Escola Calouste Gulbenkian como responsável da formação profissional em fotografia.

 Prancha de La Chavalita, em que se pode ver António Variações...



 

________________________________________________________________
EXCLUSIVO DO KUENTRO
QUEM VEM E ATRAVESSA O RIO
De Arlindo Fagundes (arg.) e Pedro Sousa Dias (des.)
história publicada pela primeira vez no Fanzine Pedra Pomes














___________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page