sábado, 18 de junho de 2016

GAZETA DA BD #59 - OS VAMPIROS - O NOVO LIVRO DE FILIPE MELO (argumento) E JUAN CAVIA (desenhos)


GAZETA DA BD #59
NA GAZETA DAS CALDAS
OS VAMPIROS
O NOVO LIVRO 
DE FILIPE MELO (argumento) 
E JUAN CAVIA (desenhos)
17 de Junho de 2016

Jorge Machado-Dias


A Guerra Colonial teve uma discreta abordagem na BD portuguesa, penso que talvez devido ao trauma da vivência daquela guerra por quase toda a população até ao 25 de Abril, embora as quesílias mentais e físicas se prolongassem por muito tempo depois. A última abordagem ao tema tinha sido o álbum Cinzas da Revolta, com argumento de Miguel Peres e desenhos de João Amaral (Jhion), publicado pela Asa em 2012.

Agora surge o livro com argumento de Filipe Melo e ilustrado pelo argentino Juan Cavia com o título Os Vampiros, tendo sido lançado no passado dia 28 de Maio no XII Festival de BD de Beja. Não é propriamente um livro sobre a Guerra Colonial, mas ambientado nela, mais propriamente na Guiné, talvez o pior teatro da Guerra Colonial. O livro teve também lançamento nas Caldas da Rainha, na livraria Bertrand com sessão de autógrafos, no passado dia 12, tendo-se realizado no Centro Cultural e de Congressos uma sessão de Masterclass com os autores. Até dia 13 de Julho está patente também no CCC, uma exposição sobre este livro.

O músico Filipe Melo já tinha escrito o argumento de “Dog” Mendonça e Pizzaboy (3 volumes), com desenhos de Juan Cavia e cor de Santiago Villa. Os três volumes tiveram enorme sucesso junto dos fâs da BD, com mais de 30.000 exemplares vendidos.

Em Os Vampiros, o registo é bastante diferente. Passa-se na Guiné, em Dezembro de 1972, quando um grupo de soldados portugueses é destacado para uma operação secreta no Senegal. Porém, à medida que vão sendo consumidos pela paranóia e pelo cansaço, esta missão aparentemente simples vai transformar-se num verdadeiro pesadelo. Embrenhados na selva, estes homens terão de confrontar sucessivos demónios – os da guerra e os que trouxeram consigo.

Segundo Filipe Melo, em entrevista com Geraldes Lino, “A primeira versão do guião surgiu em 2010, quando tinha acabado de lançar o primeiro "Dog" Mendonça e Pizzaboy. Tinha uma ideia da narrativa em traços gerais, mas precisava de tempo para fazer o trabalho de investigação. Fui fazendo as coisas com o devido tempo e calma. À medida que fui explorando o tema, fui ficando motivado pela tentativa de fazer uma história diferente das que tinha feito antes, mais ambiciosa. Queria depositar mais confiança no leitor e dar espaço para que tire as suas próprias conclusões. Suponho que a história surgiu devido ao triplo significado da palavra Os Vampiros: é a criatura mitológica, é o nome de um grupo de comandos que combateu na Guiné e é também o nome da emblemática canção do Zeca Afonso. A guerra colonial pareceu-me o cenário ideal para contar uma história que falasse sobre o medo, sobre a paranóia e sobre a natureza cíclica da guerra”. (Em http://divulgandobd.blogspot.pt/2016/05/os-vampiros-de-filipe-melo-e-juan-cavia.html).

Em outra entrevista refere: “Tinha uma curiosidade natural sobre o tema da Guerra Colonial, li muito sobre o assunto e começou a surgir a ideia abstracta da história que queria contar. Inicialmente, o argumento era mais tradicional, era uma história de terror clássica, mas foi-se transformando noutra coisa. É uma reflexão sobre o que se passou nessa guerra e sobre uma geração que viveu uma experiência horrível à força. Não se consegue recuperar. Felizmente, nunca passei por nada assim, não imagino como seria. Queria muito falar sobre o medo, o terror no estado puro, e pareceu-me o cenário ideal. Claro que vi documentários, alguns livros, mas, mais do que tudo realizei cerca de 50 horas de entrevistas com ex-combatentes. Conheci pessoas com histórias incríveis e com visões diferentes do que se passou naqueles anos”.

Os Vampiros é um livro de 232 páginas, com capa dura, editado pela Tinta da China. Contudo devo acrescentar que os quatro volumes de As Aventuras de “Dog” Mandonça e Pizzaboy (os três editados inicialmente e o quarto editado este ano, com a história publicada na revista Dark Horse Presents nos EUA), totalizam 336 páginas.

Filipe Melo é um músico que se dedica também ao cinema e à banda desenhada. Estudou no Hotclube de Portugal e no Berklee College of Music, em Boston. Escreveu, produziu e realizou vários projectos de culto: I’ll See You in My Dreams, vencedor do Fantasporto 2004 e Um Mundo Catita, série de televisão exibida na RTP. Realizou ainda videoclipes, documentários e anúncios publicitários. Actualmente, é professor na Escola Superior de Música.

Juan Cavia trabalha como director de arte para cinema e publicidade, destacando-se a sua participação como set designer no fillme El Secreto de Sus Ojos, vencedor do Óscar para Melhor Filme Estrangeiro em 2010.




  


___________________________________________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page