domingo, 30 de outubro de 2016

OS PREMIADOS DO 27º AMADORA BD 2016


27º AMADORA BD 2016
PRÉMIOS NACONAIS DE BANDA DESENHADA

Nuno Saraiva 
vence prémio de Melhor Álbum Português
com a colectânea
TUDO ISTO É FADO

Nuno Saraiva venceu na categoria de Melhor Álbum Português com a colectânea Tudo Isto é Fado, um conjunto de histórias curtas publicadas semanalmente no SOL, nas quais presta homenagem ao fado.


Tudo Isto é Fado, de Nuno Saraiva, foi eleito o Melhor Álbum Português pelo júri dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada, atribuídos este sábado no âmbito do 27º Festival de BD da Amadora. O álbum, um conjunto de histórias curtas de banda desenhadas que presta homenagem ao fado e aos seus intérpretes, foi editado em 2015 pela EGEAC e pelo Museu do Fado.


Ver o post de Geraldes Lino sobre Tudo Isto é Fado em http://divulgandobd.blogspot.pt/2014_12_01_archive.html

Nuno Saraiva nasceu em 1969 em Lisboa, onde vive e trabalha. Dono de uma extensa e premiada obra, começou a publicar banda desenhada na imprensa portuguesa em 1993, em jornais como o Expresso. Foi co-autor de Filosofia de Ponta, com argumentos de Júlio Pinto, publicada no jornal Independente, colabora regularmente com o Rosa Maria, o jornal da Mouraria, e com o semanário SOL, onde ilustrou a coleção de cromos Eusébio.

É professor de Banda Desenhada e Cartoon Político no Ar.Co. e, recentemente, ilustrou Aníbal Milhais - soldado Milhões, a história do herói português da Primeira Guerra Mundial contada por José Jorge Letria e publicada pela editora Pato Lógico.

No ano passado, o prémio foi atribuído a Zombie, uma novela gráfica de Marco Mendes que segue 24 horas na vida de uma das personagens. Mais do que uma história aos quadradinhos, trata-se de um retrato da sociedade atual.

Nas outras categorias:

Melhor Argumento para Álbum Português:


Mário Freitas, autor de Fósseis das Almas Belas (Kingpin Books)
___________________________________________________

Melhor Desenho para Álbum Português:


João Sequeira, ilustrador de Tormenta (Polvo)
___________________________________________________

Melhor Álbum em Língua Estrangeira:


Jorge Coelho, com Sleepy Hollow, uma banda desenhada pensada para os fãs da série homónima da Fox. O álbum foi publicado em 2015 pela BOOM!, editora com a qual o português colabora há já alguns anos.
___________________________________________________

Melhor Álbum de Autor Estrangeiro: 


Miguelanxo Prado, autor de Presas Fáceis, publicado pela Levoir 
___________________________________________________

Melhor Desenhador Estrangeiro de Livro de Ilustração:


O Meu Irmão Invisível (Orfeu Negro), de Ana Pez
___________________________________________________

Melhor Álbum de Tiras Humorísticas:


Seu Nome Próprio… Maria! Seu Apelido, Lisboa! de Henrique Magalhães, editado pela Polvo.
___________________________________________________

Melhor Desenhador Português de Livro de Ilustração: 


Joana Estrela, autora da Mana (Planeta Tangerina)
___________________________________________________

Melhor Fanzine:


Shock, publicado pela El Pep
___________________________________________________

Clássicos da 9ª Arte:


Revisão – Bandas Desenhadas dos Anos 70, uma coletânea publicada pela Chili com Carne
e


V de Vingança, de Alan Moore e David Lloyd, editado pela Levoir.

__________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page