quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

BDpress #229: Pedro Cleto no Jornal de Notícias - OS 75 ANOS DO FANTASMA E TRUE GRIT EM COMICS


Jornal de Notícias, 17 de Fevereiro de 2010

FANTASMA, O ESPÍRITO QUE CAMINHA HÁ 75 ANOS

F. Cleto e Pina

Passam hoje 75 anos sobre a estreia no New Yorker American Journal das tiras diárias de The Phantom, popularizado em Portugal como Fantasma. Seria no entanto necessário aguardar uma semana para conhecer o primeiro herói dos quadradinhos com identidade secreta, oculta por uma máscara nos olhos, um fato justo de cor roxa e as cuecas por fora.

Apesar disso, o Fantasma não tinha super-poderes, que entrariam na BD apenas um par de anos mais tarde com o Superman, servindo-se da força, da agilidade física e do seu aspecto amedrontador para derrotar gangsters e tiranos, que marcava para sempre com o seu anel da caveira. E ainda da lenda que o afirmava imortal, contando mais de 400 anos, sendo por isso conhecido como “o espírito que caminha” ou “o homem que nunca morre”.

Na verdade, este Fantasma inicial era apenas o 21º de uma longa linha sucessória, iniciada em 1526 por um aristocrata inglês que, naufragado na costa africana na sequência de um ataque de piratas Singh, jurou consagrar a sua vida e a dos seus descendentes a combatê-los.

Imaginado por Lee Falk, que dois anos antes criara o mágico Mandrake, o Fantasma inicialmente foi desenhado por Ray Moore, sucedendo-lhe Wilson McCoy e Sy Barry. À tira diária juntar-se-ia uma prancha dominical colorida, em Maio de 1939, ano em que também se estreou em revista autónoma. Actualmente, as tiras diárias são escritas por DePaul e desenhadas por Paul Ryan.

Na sua primeira aparição o Fantasma salvava de apuros a bela Diana Palmer, que seria sua noiva durante mais de meio século, até finalmente casarem, em 1977. Guran, chefe dos pigmeus Bandar, Diabo, o cão-lobo, Herói, o cavalo branco e a Patrulha da Selva, são outras personagens recorrentes desta banda desenhada.

O Fantasma habita a Caverna da Caveira, na fictícia selva de Bengala, de onde parte para os mais exóticos destinos para combater o crime e a opressão, tendo mesmo participado na II Guerra Mundial, contra invasores japoneses.

O sucesso da BD, fez com que fosse levada ao cinema em 1943, com Tom Tyler como protagonista, papel que coube a Billy Zane, num filme de má memória de 1996. Na televisão apareceu em 1986, numa série animada futurista, integrando os Defensores da Terra, juntamente com Flash Gordon, Mandrake e os respectivos filhos (!). No ano passado, uma mini-série interpretada por Ryan Carnes, narrou a iniciação do 22º Fantasma.

Em Portugal, a estreia do herói deu-se em 1952, na revista Condor, tendo depois passado pelo Mundo de Aventuras, Audácia, Jornal do Cuto e até por títulos próprios. A título de curiosidade, refira-se que foi desenhado pelo português Eliseu Gouveia (Zeu), nos números #20 e #26 da edição da Moonstone Books, em 2007/08.

Nota do Kuentro: Este texto (um pouco mais alargado) pode ser lido no blogue do autor: As Leituras do Pedro onde se mostram também imagens diferentes das que apresentamos abaixo. Confiram!


Prancha dominical de The Phantom desenhada por Ray Moore (28 Maio 1939)

Prancha de Paul Ryan, com argumento de Tony DePaul (2010)

Capas da DC Comics (1989) e da Moonstone Books (2003)
Cartaz e foto promocional do filme de 1943, com Tom Tyler

Cartaz e fotos do filme de 1996, com Billy Zane


Capas de edições portuguesas

Capas do #20 e do #26 desenhadas por Eliseu Gouveia (Zeu). De referir que a capa do #26 é diferente  da que Pedro Cleto apresenta no seu blogue As Leituras do Pedro, que é, aliás, bem melhor que esta. Comparem!
______________________________________________________


Jornal de Notícias, 17 de Fevereiro de 2011

TRUE GRIT, A BANDA DESENHADA

F. Cleto e Pina

A tempo da estreia europeia, a Paramount disponibilizou há dias uma banda desenhada promocional inspirada numa das cenas-chave da película dirigida pelos irmãos Cohen, que introduz o universo do filme, em particular dando a conhecer o carácter do Marshall Rooster Cogburn (Jeff Bridges).

O seu autor é o britânico Christian Wildgoose, que revelou que tudo começou quando editou no seu blog um sketch da personagem de Bridges, feito após o visionamento do trailler do filme. De alguma forma a imagem chegou às mãos de um responsável da Paramount que o convidou para fazer a BD.

Agora, estão disponíveis online (http://www.truegritmovie.com/intl/uk/dimenovel/ ) duas dúzias de pranchas, apenas a preto e branco (e cinzento para realçar os volumes), nas quais Cogburn narra em tribunal como encontrou duas vítimas dos irmãos Wharton e partiu em sua perseguição. O traço de Wildgoose, duro e agreste, é ideal para o tom duro e violento da trama e para retratar o cenário em que ela decorre, deixando sem dúvida o leitor desejoso de conhecer o resto da história…

Apesar de “incompleta”, esta BD encontra-se nomeada para os Eagle Awards, nas categorias de Melhor BD Britânica a Preto e Branco e Melhor Legendagem.

___________________________________________________

Imagens da responsabilidade do Kuentro
___________________________________________________

NOTA DO EDITOR DO KUENTRO: LEIAM AQUI EM BAIXO OS COMENTÁRIOS DE LEONARDO DE SÁ EM RELAÇÃO AO RECORTE SOBRE O "FANTASMA"!!! 
___________________________________________________

 
Locations of visitors to this page