sexta-feira, 21 de abril de 2017

PROGRAMA DO 21º ANIVERSÁRIO DA BEDETECA DE LISBOA PARA ESTE FIM-DE-SEMANA

21º ANIVERSÁRIO 
DA BEDETECA DE LISBOA 

Para já, fica aqui a programação da Festa do 21º aniversário da Bedeteca de Lisboa, que tem vindo a ser publicada no blogue Uma Bedeteca Anónima – https://bedeteca.wordpress.com/. Chamo a atenção para o facto de o referido blogue não me parecer ter ainda fechado o Programa em definitivo. Daí que vale a pena ir “dando uma vista de olhos” por ele.

Parentesis mais ou menos cítico: (Mantenho o texto original sem qualquer correcção – isto serve de aviso aos que sabem da minha opinião quanto ao uso da expressão “artista(s)” na banda desenhada, em vez de autores, ou ilustradores)...

O PROGRAMA DA FESTA

Começamos pelo cartaz, feito pelo autor André Pereira sob a benção do Clube do Inferno, grupo de sofisticados artistas que tem espalhado trabalho artístico e crítico em várias publicações desde 2012.


Desde cedo as exposições que estarão patentes neste dia irão inaugurar sem cerimónias logo às 10h da manhã. Mas será à tarde que tudo acontece.


Entre as 14h e as 18h, a Feira Morta, o evento de edição independente mais importante de Lisboa, realiza uma edição desse mercado no pátio da Biblioteca com várias editoras e artistas presentes. Graças a ela, haverá um concerto de Sallim, guitarrista e cantora de folk’n’roll, e um DJ set do Pato Bravo (aka B Fachada) que tanto nos dará argumentos de dança como argumentos de BD – será lançado o último volume e a compilação do seu romance gráfico Violência Electro-Doméstica feito em parceria com Xavier Almeida.

Sallim

B Fachada


Dentro da Bedeteca propriamente dita, uma exposição sui generis de Maria João Worm do Quarto de Jade – dupla partilhada com Diniz Conefrey. A artista apresenta duas caixas iluminadas, onde se revela, em cada uma, uma personagem que figurou na exposição Como se um manuscrito se tratasse de 1999 neste Palácio do Contador Mor e que agora assumem a identidade dos editores da Quarto de Jade.

Se as peças de Worm irão surpreender quem conheça o seu trabalho plástico, o que irão dizer dos 46 cartazes em serigrafia do colectivo Kuti Kuti que invadirão (literalmente) as três salas de leitura da Bedeteca? Com cores fortemente ácidas, típicas daquele atelier de Helsínquia, a exposição itinerante Tempora Mutandur comemora os dez anos deste grupo responsável pelo jornal Kuti, cujo último número será oferecido GRÁTIS aos visitantes. Despachem-se a agarrar um exemplar!!! A autoria dos cartazes-BD são de Jyrki Heikkinen, Jarno Latva-Nikkola, Tiina Lehikoinen, Benjamin Bergman, Tommi Musturi, Kati Rapia, Katja Tukiainen, Matti Hagelberg, Aapo Rapi, Terhi Ekebom, entre muitos outros autores finlandeses, conhecidos dos portugueses devido às suas presenças no Salão Lisboa 2005, na exposição Glömp X (2009) ou pelos livros publicados em Portugal. Esta “visita” escandinava é da cortesia da Chili Com Carne, associação que inaugurou a colecção Lx Comics em 1998.


Tal como o Kuti também haverá mais publicações grátis neste dia!

Uma delas será o fanzine do grupo Dor de Cotovelo, autores de BD saídinhos da escola Ar.Co. onde integram Ana Braga, Cecília Silveira, Dileydi Florez, Gonçalo Duarte, Gréc e Tiago Martins que irão abordar o tema “Medo de Ofender”.

O Lisbon Studio, reconhecido local de trabalho de onde tanto saem imagens das Festas da Cidade como de super-heróis norte-americanos, será representado com Top Show, de João Tércio (Março Anormal) e Filipe Andrade (desenhador de Homem de Ferro, Capitão América, X-Men,…), uma publicação de Ilustração e Banda Desenhada que segundo dizem os autores será uma plataforma multimedia e de recruta Artística para uma futura serie de televisão.

Não será grátis e terá um sabor a shushi, o JanKenPon é a maior publicação dedicada à Mangá por autores portugueses que lança o seu novo número nesse dia.

Enquanto isso, a Oficina do Cego tão habituada à impressão com meios artesanais, irá produzir ao vivo várias serigrafias com uma ilustração de Hugo Henriques, para os mais pequenos, que se poderão intervir nos cartazes de forma livre, utilizando caneta, lápis e carimbos, construídos pelos participantes. Sairão serigrafias quentinhas mas o melhor é deixá-las secar um bocado…


E porque a Bedeteca de Lisboa nunca foi bairrista, eis a Oficina Arara, atelier dedicado à serigrafia que mudou as imagens das paredes do Porto, irá criar uma surpresa… Mas mais mistérios haverão.

Talvez alguém possa ver alguma Parasitical Interviews, do trio de designers Desisto! Talvez? Porque este divertido projecto é uma folha volante que entrevista um artista – quem será neste número? – e que é colocada dentro de livros, de forma aleatória. Talvez serão colocadas alguns nos álbuns da Bedeteca… Talvez outras nos livros da Biblioteca dos Olivais e talvez alguns em livrarias pelo país fora. Talvez… Para os que não descobrirem as “entrevistas parasitárias” não se preocupem! Podem desistir de procurar!!!

No acervo da Bedeteca de Lisboa, juntamente com os mais de 10.000 volumes de revistas e livros, estarão lá exemplares desta folha para consulta e para todo o sempre!


ATENÇÃO
NOS PRÓXIMOS DIAS PUBLICAREI AQUI NO KUENTRO
A HISTÓRIA DA BEDETECA DE LISBOA

_______________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page