terça-feira, 26 de abril de 2011

BDpress #257: MORREU BILL ELSWORTH BLACKBEARD O GRANDE ESTUDIOSO DOS COMICS + OS TEXTOS DE PEDRO CLETO NO JORNAL DE NOTÍCIAS

Bill Elsworth Blackbeard , o grande estudioso dos comics faleceu a 10 de Março de 2011, aos 84 anos (nasceu em 20 de Abril de 1926), mas a notícia só foi dada ontem, dia 25. 
R.C. Harvey, na sua coluna no Comics Journal, chamou-lhe O Homem que Salvou os Comics.

Ligação AQUI e AQUI a esta notícia do Comics Journal e vejam as fotos que lá se publicam.


Bill Blackbeard, The Man Who Saved Comics, Dead at 84
By R.C. Harvey Apr 25, 2011
As reporter Kevin Parks said several years ago at ThisWeekNEWS.com:
“He saved the American comic strip - all of them.”

_______________________________________________________________

Jornal de Notícias, 25 de Abril de 2011

CRIADOR DE SANDOKAN FALECEU HÁ CEM ANOS

F. Cleto e Pina

Emilio Salgari, um dos grandes romancistas populares do século XIX faleceu há um século, em Torino, na sua Itália natal.

Natural de Verona, onde nasceu a 21 de Agosto de 1862, desde sempre atraído pelo mar, ingressou na Academia Naval de Veneza, tendo no entanto feito uma única viagem a bordo de um navio mercante, na qual percorreu a costa do Adriático. Regressado a terra começou a escrever romances de aventuras, publicados na forma de folhetins em jornais.

Casado com Ida Peruzzi, de quem teve quatro filhos, Salgari escreveu mais de duas centenas de novelas entre relatos de viagens, westerns, ficção-científica e aventuras em ambientes exóticos como a Malásia, as Antilhas e as Bermudas.

Entre as suas criações mais populares contam-se o Corsário Negro, As Maravilhas do Ano 200 e, principalmente, as aventuras de Sandokan, um príncipe de um reino malaio, cujos pais foram mortos pelo ocupante britânico, contra quem se revolta numa longa batalha pela justiça, a liberdade e o amor, juntamente com o português Yanez de Gomera e a bela Mariana, sobrinha do seu maior inimigo.

Várias vezes levada ao cinema, a história de Sandokan teve também direito a uma famosa mini-série televisiva italiana, nos anos 70, protagonizada por Kabir Bedi, Philippe Leroy e Carole André, com música original de Pino Massara. A força da história original de Salgari, levou a que fosse também adaptada em versões mais juvenis, quer em desenhos animados, quer em banda desenhada, destacando-se neste último caso uma versão incompleta da autoria de Hugo Pratt e diversas paródias protagonizadas pelos heróis Disney.

Apesar do sucesso de muitas das suas criações, Salgari e a sua família viveram sempre com dificuldades financeiras, tendo-se o escritor suicidado, após a morte da esposa, a 25 de Abril de 1911.

Capas da revista italiana «Salgari», de 25 de Dezembro de 1948, com a banda desenhada Le Tigri di Mompracem, de Guido Moroni-Celsi e a portuguesa «Emílio Salgari», de Fevereiro de 1977, com Sandokan - Os Dois Tigres, com capa de Victor Péon. 
  
O Sandokan incompleto de Hugo Pratt, versão Casterman

_______________________________________________________________

Jornal de Notícias, 19, Abril 2011

BENTO XVI EM MANGA

F. Cleto e Pina

A visita do Papa Bento XVI a Madrid, durante a Jornada Mundial da Juventude 2011, que terá lugar de 16 a 21 de Agosto próximo, será assinalada, também, pela edição de “Habemus Papam!”, uma banda desenhada com a história do mais alto representante da Igreja Católica.

A publicação, desenhada no estilo manga (termo que designa a banda desenhada japonesa), terá uma tiragem de mais de 300 mil exemplares, em espanhol e em inglês, e será distribuída gratuitamente em igrejas, hotéis e estações de metro.

Na origem desta iniciativa está a editora norte-americana Manga Hero, que se tem dedicado à publicação de mangas religiosos, existindo já no seu catálogo títulos dedicados a Judite e ao apóstolo Paulo.

“O Objectivo de “Habemus Papam”, explica o editor, Jonathan Lin, no site da Jornada, “é apresentar o Papa Bento XVI àqueles que não sabem muito sobre ele”. E acrescenta: “Esta história reproduz as diferentes vivências do Santo Padre por todo o mundo - especialmente como cardeal a trabalhar com o seu antecessor João Paulo II - e culmina com o momento em que foi eleito bispo de Roma”.

O manga global (designação adoptada pelos japoneses para designar as obras neste estilo feitas por estrangeiros) tem argumento dos norte-americanos Gabrielle Gniewek e Mathew Salisbury e desenho de Sean Lam, natural de Singapura.

A opção por este estilo deve-se ao facto de “na última década a popularidade do manga ter tido um crescimento assombroso em todo o mundo, e convertido milhões de crianças e adultos em fãs”, explica Lim, que acrescenta que tem sido “uma das exportações japonesas de maior êxito”. Para além disso, “o manga é considerado uma das mais recentes formas de entretenimento e torna-se fácil de ler por pessoas de qualquer idade”.

Para além da sua presença pontual em relatos históricos, esta não é a primeira vez que a banda desenhada é utilizada para narrar a biografia de um papa. Em 2003, as Éditions du Triomphe, tinham lá lançado dois volumes intitulados “Avec Jean-Paul II”, da autoria de Dominique Bar, Louis-Bernard Koch e Guy Lehideux, que narravam o trajecto do antecessor de Bento XVI.


Jonatham Lin, editor deste novo livro, explica-nos porque é que Manga Hero decidiu produzir esta banda desenhada para a JMJ.


P: Que propósito tem esta banda desenhada?
R. O Objectivo de “Habemus Papam” é apresentar o Papa Bento XVI àqueles que não sabem muito sobre ele, salvo que se trata do representante máximo da Igreja Católica. Esta breve história reproduz as diferentes vivências do Santo Padre por todo o mundo – especialmente como cardeal a trabalhar com o seu antecessor João Paulo II, e culmina com o momento em que foi eleito bispo de Roma.

P: Porquê uma banda desenhada?
R. Na última década a popularidade da banda desenhada manga experimentou um crescimento assombroso em todo o mundo, e converteu milhões de crianças e adultos em fãs. Com efeito é considerada uma das exportações japonesas de maior êxito. A banda desenhada manga conseguiu adquirir uma grande extensão de conteúdos num grande número de géneros. Queremos utilizar a banda desenhada manga como uma ferramenta para mostrar à juventude e ao mundo uma Igreja sem medo da modernidade e da rápida evolução da cultura. Não duvidámos em usar novas formas mediáticas para comunicarmos com a gente nova.

P: Vai chegar aos jovens?
R: É uma oportunidade para dar a conhecer aos jovens de forma inspiradora e atractiva o Papa Bento XVI, e especialmente a sua mensagem aos jovens. A banda desenhada manga é considerada uma das mais recentes formas de entretenimento e torna-se fácil de ler para pessoas de qualquer idade. O Papa João Paulo II ressaltou a importância do uso das novas formas de comunicação para conhecer mais de perto os jovens e fomentar uma cultura de amor e de dignidade. A banda desenhada manga é um desses meios.

P: Este não é o primeiro tema de banda desenhada manga de conteúdo religioso que produziu. O que te levou a criar bandas desenhadas de temas bíblicos?
R: Estava a pensar em criar um negócio e falei com os meus pais; pensámos em várias ideias. O meu pai perguntou-me porque é que não havia banda desenhada manga baseada em histórias da Bíblia ou na vida dos santos. Fiquei a pensar nisso. É verdade, não existia quase nenhuma publicação. E foi nesse momento que a ideia de Manga Hero nasceu. Desejei sempre fazer algo que tivesse um efeito positivo na sociedade. Dada a grande influência dos meios de comunicação na nossa cultura, concretamente entre os jovens, senti que este instrumento poderia marcar a diferença.

P: As tuas últimas criações foram sobre Judite e São Paulo. Porque representaste estas duas personagens como heróis?
R: São Paulo e Judite representam perfeitamente um herói e uma heroína – duas personagens célebres que mostraram o seu valor e a sua nobreza nos seus propósitos, especialmente quando arriscaram ou sacrificaram as suas próprias vidas para algo mais importante, a sua fé.

P: Criar estas bandas desenhadas manga é um verdadeiro esforço. Fala-nos sobre isso.
R: Temos dois excelentes escritores, Gabrielle Gniewek e Mathew Salisbury, ambos da Universidade Católica João Paulo o Grande de San Diego, que se especializaram nos novos meios como ferramenta para mudar o mundo. O nosso desenhador, Sean Lam, é um artista profissional de Singapura especializado em banda desenhada manga, além de ser um apaixonado quando se trata de criar histórias sobre virtudes positivas e heroísmo. “Habemus Papam” será impresso em Pinto, Espanha, pelo Grupo Gráfico Dédalo, e naturalmente, todo o projecto é produzido por Manga Hero em San Rafael.

P: Como esperas que “Habemus Papam” seja recebido pelos peregrinos da JMJ?
R: Queremos distribuir o livro por toda a cidade de Madrid, aos participantes na JMJ e também em sítios públicos como igrejas, colégios, hotéis, casas de juventude, estações de metro, aeroporto, quiosques de imprensa e lugares turísticos, entre outros. Temos planeado imprimir mais de 300.000 exemplares tanto em inglês como em espanhol. Esperamos que resulte numa boa iniciativa e que dê a conhecer o Santo Padre às pessoas, assim como a importância, a visibilidade e a actividade da Igreja na cultura moderna. Queremos que o maior número de pessoas leia a nossa banda desenhada.
_______________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page