sexta-feira, 27 de maio de 2011

LANÇAMENTOS NO VII FIBDBEJA'2011 (IV): LANÇAMENTOS PEDRANOCHARCO PUBLICAÇÕES – BDjornal #27 e “LI MOOFACE” UMA NOVELA GRÁFICA DE FERNANDO RELVAS

BDjornal #27
Maio de 2011
112 páginas
€ 8,00 (preço no Festival de Beja: € 6,00)

Fernando Relvas, um dos nomes maiores da BD portuguesa, esteve ausente no estranjeiro durante quase oito anos, como muita gente saberá. Quisemos marcar o seu regresso com um grande dossier (29 páginas), onde se podem destacar não só a Bio-bibliografia mais completa deste autor realizada até hoje – e mesmo assim incompleta, tal a amplitude e variedade dos projectos que realizou, em trinta e sete anos de carreira – complementada por uma extensa entrevista, para “pôr a escrita em dia” e sete pranchas, parte de uma banda desenhada intitulada Kriks, O Trabalhador Ideal, que foi publicada inicialmente em inglês, como webcomic semanal, num blogue. De qualquer modo, convém dizer que esta matéria sobre Relvas foi pensada em Fevereiro de 2010, aquando da preparação da entrevista com Diniz Conefrey para o BDj #26 e sobretudo, devido ao texto de Conefrey, Fernando Relvas, O Abismo do Autor, também publicado nessa edição do BDj. Ainda longe, portanto, de se saber que Relvas iria regressar a Lisboa e que, mercê desse regresso, viria a ser convidado para expôr o seu trabalho nos Festivais de BD de Beja e da Amadora deste ano.

Por outro lado, e como este BDjornal é longo, o mais longo que se realizou até hoje, referimos outras matérias de grande interesse, começando pelo texto onde João Miguel Lameiras nos descreve o que foi a espantosa exposição Transforme, que mostrou as Metamorfoses de Moebius na Fondation Cartier pour l’Art Contemporain.

Apresentamos ainda duas entrevistas, com Fil e André Oliveira, sobre o Projecto Zona, para nos contarem esta verdadeira aventura no mundo da edição de BD neste país.

Um projecto antigo, de divulgar regularmente alguns fanzines que merecem destaque, vê agora realização: convidámos o Fanzine Terminal, do Algarve, construído e editado pelo incansável Phermad desde 1998, ano em que foi lançado o primeiro número. Apresenta-nos aqui doze autores que convém ter em atenção.

Por último, destacamos o início da colaboração de Wagner Macedo no BDjornal, num importante contributo para o intercâmbio lusófono, que andamos a tecer há alguns anos com o Brasil. Faltará agora termos algumas respostas dos nossos amigos angolanos Olímpio e Lindomar de Sousa, para que o BDjornal possa estender essa teia a Angola, com o objectivo de, mais tarde, podermos estar também em outras paragens da Banda Desenhada que se escreva em português.

CAPA: Ilustração de Fernando Relvas – Pormenor de uma vinheta da novela gráfica Li Moonface.

4 – TINTA NOS NERVOS – UMA EXPOSIÇÃO ÚNICA DE BD PORTUGUESA, J. Machado-Dias
7 – FERNANDO RELVAS, O REGRESSO DO FILHO PRÓDIGO, João Miguel Lameiras
12 – FERNANDO RELVAS – PARA UMA BIO-BIBLIOGRAFIA, J. Machado-Dias
16 – O REGRESSO DO URSO – ENTREVISTA COM FERNANDO RELVAS, (a mais completa bio-bibliografia do autor feita até hoje), J. Machado-Dias
24 – BD – KRIKS, O TRABALHADOR IDEAL, Fernando Relvas e Nina Govedarica
30 – TRANSEFORME – AS METAMORFOSES DE MOEBIUS NA FUNDAÇÃO CARTIER, João Miguel Lameiras
32 – CRÓNICA DO MAU PASTOR, Diniz Conefrey
34 – AS AVENTURAS DE TINTIN NOS JORNAIS PORtugueses, Leonardo De Sá
37 – DOSSIER FANZINE CONVIDADO: TERMINAL, Vários Autores
57 – BD – JAMAICAN, Wilson Vieira (Arg.) e Angelo Roncalle (Des.)
67 – BD – SAMIRA 2 (+arte 1 de 2), Selma Pimentel
77 – SYNCOPATED – AN ANTHOLOGY OF NONFICTION PICTO-ESSAYS, Sara Figueiredo Costa
78 – O AMOR INFINITO QUE TE TENHO, Pedro Vieira Moura
79 – DESTRUIÇÃO!, Pedro Vieira Moura
80 – VOYAGE – AUX ÎLES DE LA DÉSOLATION, Pedro Cleto
81 – FAR AWAY, Pedro Cleto
82 – O OESTE SEGUNDO CIVITELLI, Pedro Cleto
83 – SEISCENTAS EDIÇÕES DE TEX, José Carlos Francisco
84 – TEX EM NÚMEROS, Saverio Ceri
86 – TEX WILLER – A HISTÓRIA DA MINHA VIDA, José Carlos Francisco
87 – PROJECTO ZONA – ENTREVISTAS COM FIL E ANDRÉ OLIVEIRA, J. Machado-Dias
92 – ENTREVISTA COM WAGNER MACEDO, J. Machado-Dias
95 – Convidados de Wagner Macedo: ENTREVISTAS COM WILDE PORTELA E PAULO JOSÉ “Don Pajo”, Wagner Macedo
97 – GUERRA, MORTE E REENCARNAÇÃO NOS QUADRINHOS BRASILEIROS, Edgar Indalécio Smaniotto
100 – VIAJANTES DE PAPEL NA LUSOGONIA GRÁFICA 1, Osvaldo Macedo de Sousa
108 – AMADORA BD 2010 – UM FESTIVAL DE ATRASOS, Diogo Campos
110 – JAPAN WEEKEND LISBOA 2010, Pedro Trabuco
111 – ANIGAMIX 2011 – ENTREVISTA COM HUGO JESUS, J. Machado-Dias
112 – XVII O REGRESSO DO MOURA BD, J. Machado-Dias

COLABORAÇÕES: Clara Botelho, Dâmaso Afonso, Diniz Conefrey, Diogo Campos, Edgar Indalécio Smaniotto, João Miguel Lameiras, José Carlos Francisco, Leonardo De Sá, Osvaldo Macedo de Sousa, Pedro Cleto, Pedro Trabuco, Pedro Vieira Moura, Phermad, Sara Figueiredo Costa, Saverio Ceri, Wagner Macedo.
AUTORES DE BANDAS DESENHADAS E ILUSTRAÇÕES: Angelo Roncalle, Fernando Relvas, Maria João Worm, Nina Govedarica, Selma Pimentel, Wilson Vieira.
















_______________________________________________________________________________

 LI MOONFACE
Uma Novela Gráfica de Fernando Relvas
Edição Pedranocharco Publicações
Formato: 16 x 24 cm
Miolo a preto e branco, 104 páginas.
Capa a cores, brochada, com badanas.
Preço: € 14,00 (preço no Festival de Beja: € 10,00)

«Esta Papalina tem uma história complicada. De início não era chinesa e era apenas a personagem que narrava o seu encontro com a misteriosa figura de Adass Polo, que é o nome duma espécie de arroz de lentilhas na culinária persa, a figura central dum conto que se chamava, tal como a versão em português desta história, O Agente de Cambises. Estava o conto em banho maria, quando decidi criar a figura de miss Li, para lançar um webcomic semanal. Mas também não foi esse o princípio da figura que tem as características de Li, chinesa alta e atlética, discreta mas teimosa. Ela é a Ken de O Urso Vai a Espanha, e antes disso já fazia parte dos meus cadernos de apontamentos. Como vinha fresquinho de ler And the Rain My Drink, de Han Suyin, deixei-me levar pelo ambiente do livro e atribui a Li o segundo nome de Moonface. Depois decidi espessar ainda mais a personagem e dei-lhe também a alcunha de Papalina. Aí, o destino do agente de Cambises ficou traçado, seria a história seguinte de miss Li. Como era uma história com longas tiradas filosóficas do agente, teve que levar cortes bárbaros no texto para este caber numa banda desenhada, contudo ainda sobrou muito do texto original.

Papaline, singular papalina, são aqueles peixinhos fritos que se podem ver ao longo da segunda história. Muito apreciados em Zagreb, onde se vendem em casas de comida barata. Sentado numa dessas tascas, acompanhando papaline com um copo de tinto, ouvindo o tilintar dos elétricos na rua, e usando de alguma imaginação, quase me podia sentir em Lisboa. Foi talvez por isso que fiz duma dessas casas o cenário da segunda história. Pouco tempo depois disso, a casa que se pode ver aí, com peixes em stencil sobre os espelhos e clientes tão residentes que por vezes parecia que lá iam dormir a sesta, fechou.
O agente, ou embaixador, de Cambises, o velho Cambises da história persa, apresentava-se, na história original, a Papalina como um caixeiro viajante, com passaporte etíope, mestre de tráficos diversos e, entre outras coisas, como tendo liderado uma embaixada que infelizmente não aparecerá no WikiLeaks, pois teria tido lugar na Antiguidade. E mais não conto, para não estragar a história. Basta apenas dizer que a ideia original fui buscá-la diretamente a Heródoto.

As duas histórias foram sendo publicadas semanalmente, ao longo de 2008, entre Fevereiro e Dezembro, com o início a coincidir com o ano novo chinês. A primeira foi posta em livro na Lulu.com em 2009, mais tarde retirada e, em conjunto com a segunda história, posta em livro em Maio de 2010».

Fernando Relvas em entrevista no BDjornal #27



______________________________________________________________________________

OUTROS LIVROS PEDRANOCHARCO 
NO FESTIVAL DE BEJA:

DICIONÁRIO UNIVERSAL 
DA BANDA DESENHADA 
pequeno léxico disléxico
de Leonardo De Sá 
(o autor estará presente em Beja e, quem o quiser, pode pedir-lhe um autógrafo no livro)
Prefácio do jornalista Carlos Pessoa, do jornal Público

UM LIVRO ESSENCIAL 
EM QUALQUER BIBLIOTECA
Edição Pedranocharco Publicações
Formato 16 x 23, com badanas
202 páginas
Preço € 16,00 (preço no Festival de Beja: € 12,00)
_________________________________________________________________________


TODOS OS OUTROS LIVROS PEDRANOCHARCO ESTARÃO EM BEJA, A PREÇO DE SALDO:
50% DO PREÇO ORIGINAL!!!
_________________________________________________________________________


 
Locations of visitors to this page