sábado, 26 de julho de 2014

O DÉCIMO ANIVERSÁRIO DO KUENTRO (1)

O DÉCIMO ANIVERSÁRIO DO KUENTRO

Iniciei o Kuentro em Março de 2003 – há onze anos portanto. Dei-lhe este nome porque estava determinado em publicar crónicas do “quotidiano” – coisas de extracto político, social, culinário e eventualmente de banda desenhada. Contudo, um ano depois (talvez em Julho de 2004), optei por apagar as poucas coisas que havia publicado e reiniciar o blogue, dedicado quase só à Banda Desenhada.

O Kuentro – nome que vinha de alguns posts gastronómicos, sempre com coentros – passou a debruçar-se quase apenas sobre BD, esporadicamente sobre coisas de culinária e outras questões mais ou menos relevantes.

Acontece que a plataforma inicial onde comecei a publicar o blogue, a weblog.com.pt, criada por Paulo Querido, deu o berro (foi vendida, para ser mais específico), em Novembro de 2009. Assim iniciei o Kuentro2 na plataforma blogspot.com – da Google – muito mais completa e com outras possibilidades de edição. O arquivo do Kuentro na Weblog, que consegui sacar com a preciosa ajuda do Leonardo De Sá (e que se encontra aqui no topo da coluna da direita), do Arquivo da Web Portuguesa, começa apenas no post de 13 de Outubro de 2004 – todo o resto anterior foi perdido.

De referir que a Weblog, em 22 de Setembro de 2009 (data do último post naquela plataforma), registava 379.185 visualizações do Kuentro desde o seu início.

Considero portanto, o aniversário eventual deste blogue a partir de, mais ou menos, Julho de 2004 – apesar de o ter começado, como disse acima, em Março de 2003.

Assim, para começar a comemorar o 10º aniversário do Kuentro, republico aqui o primeiro post no arquivo citado acima, de 13 de Outubro de 2004 – a reportagem do 236 º Encontro da Tertúlia BD de Lisboa, de 7 de Setembro de 2004 – quando eu ainda tinha pachorra para inventar diálogos em balões nas fotografias, coisa que actualmente me abstenho de fazer.

Espero que se divirtam – republicarei mais um ou outro post, até para se perceber um pouco da evolução que as coisas tiveram.


______________________________________________________

 
Locations of visitors to this page