quarta-feira, 5 de novembro de 2014

BDpress #440: DESTAQUE NO “i” – ZONA DE DESCONFORTO – DEZ DOCUMENTÁRIOS À MÃO FAZEM O ÁLBUM DO ANO


ZONA DE DESCONFORTO
DEZ DOCUMENTÁRIOS À MÃO 
FAZEM O ÁLBUM DO ANO

OS PRÉMIOS DO FESTIVAL AMADORABD 2014 
FORAM REVELADOS ESTE FIM DE SEMANA. 
O ÁLBUM EDITADO PELA CHILI COM CARNE 
FOI O GRANDE VENCEDOR

Jornal "i", 3 de Novembro de 2014
Tiago Pereira

A história do estudante que em Barce­lona se perdia entre o castelhano e o catalão, ao menos tinha uma cerveja gelada, menos mal; da portuguesa nas­cida nos EUA, viajada até à Holanda, mais a sua bicicleta com vida própria; o ano de voluntariado na Guiné-Bissau, as casas de tapas de Amesterdão e os mercados turcos de Berlim. E há mais em "Zona de Desconforto", uma espé­cie de diário em banda desenhada fei­to na primeira pessoa, com dez histó­rias de outros tantos autores. Tudo a sério, tudo em carne e osso, não há como ficar indiferente a isto.

Contas feitas, o livro que foi lançado em Abril passado (com o carimbo da Chili Com Carne) fez-se álbum de BD do ano, distinção entregue este fim-de-semana no Festi­val da Amadora.

Outra vez os números: dez autores, dez histórias. André Coelho, Christina Casnellie, David Campos, José Smith Vargas, Ondina Pires, Francisco Sousa Lobo, Amanda Baeza, Tiago Baptista, Júlia Tovar e Daniel Lopes. Os contos verdadeiros narrados neste compêndio foram todos gerados entre 2006 e 2013, depois levados ao papel de acordo com o traço e o relato de cada um dos pro­tagonistas.

A única organização que "Zona de Des­conforto" segue é a cronologia dos acon­tecimentos. Marcos Farrajota, da Chili Com Carne, coordenou toda a edição: "O que aconteceu é que comecei a ver amigos e conhecidos a desaparecerem de vista porque foram trabalhar - ou será sobreviver? - para fora. Esta anto­logia foi uma forma de catarse sobre este fenómeno. De resto conhecia mais do que 10 autores que tinham emigra­do ou tiveram experiências do tipo. Alguns não puderam entrar porque não tiveram tempo por estarem estafados a trabalhar numa fábrica, por exemplo. Infelizmente, a antologia é mais bur­guesa que proletária."

Todas as histórias são pessoais, umas com finais mais felizes do que outras, sem qualquer vontade evangelizadora. "Zona de Desconforto" é um documen­tário aos quadradinhos, uma dezena deles.

Para a Chili com Carne, Marcos Far­rajota diz que não haverá "mudança especial" com este prémio: "Não quere­mos nada nunca, preferimos oferecer ideias para o mundo. Talvez percebam que a BD que se deveria divulgar não é sobre patos sem cuecas ou musculados com cuecas de fora, ou a que preço foi vendido mais um original do betinho do Tintin. Talvez agora percebam que existe alguma BD séria, adulta, artísti­ca e empenhada em Portugal."

PREMIADOS

As restantes distinções da 25." edição do AmadoraBD ficaram com André Oliveira, por "Hawk" (melhor argumento português), Pedro Massano, melhor desenho português em "A Bata­lha de 14 de Agosto de 1385", "Safe Place", de André Pereira e Paula Almeida (álbum em língua estrangeira por auto­res portugueses), "As Serpentes de Água", de Tony Sandoval (álbum estrangeiro), a reedição em volume único de "Maus" (clássicos da 9ª arte).

Na categoria humor, o melhor álbum de tiras foi "No Presépio", de Álvaro e José Pinto Carneiro, quanto à ilustra­ção infantil, ganhou Vera Tavares, com "Lôá Perdida no Paraíso".

O melhor fanzine foi "Espaço Marginal", de Marco Silva. Carlos Baptista Mendes recebeu o troféu de honra deste ano. Na galeria dos Paços do Concelho na Amadora con­tinua a exposição Portugueses na Gran­de Guerra.

O festival continua até ao próximo domingo, dia 9, no Fórum Luís de Camões, na Brandoa.

01 David Campos. Cap Skirring, 2007
02 Francisco Sousa Lobo, London Falling, 2010-2013
03 José Smith Vargas, Majos y Majas em Amesterdão, 2007

_______________________________________________________

 
Locations of visitors to this page