quinta-feira, 24 de março de 2011

BDpress #244: O REGRESSO DO GAMBUZINE (João Miguel Lameiras) + BATALHA DO BUÇACO EM BANDA DESENHADA


Diário “As Beiras”, 21 Março 2011

O REGRESSO DO GAMBUZINE

João Miguel Lameiras

Prova viva de que há edição independente de autores portugueses, fora do círculo de influência da distribuidora Chili com Carne, o fanzine/revista “Gambuzine” regressou com o número dois desta segunda série, distribuído em finais de 2010.

Articulando os autores portugueses, com uma forte presença de autores do norte da Europa, fruto dos contactos que a editora Teresa Câmara Pestana criou durante o tempo que viveu na Alemanha, este novo “Gambuzine” tem como destaque principal o alemão Wittek, objecto de uma entrevista e da publicação de cinco histórias, que mostram bem a grande versatilidade do seu traço, tão à vontade no realismo, como na caricatura. Na 1.ª história, “A Ilha da Cura”, um conto fantástico na linha das histórias da E.C: Comics, ambientado no Japão medieval, Wittek vai beber à gravura japonesa, com excelente resultados, enquanto que nas histórias de temática autobiográfica, opta por um registo mais caricatural, muito expressivo e divertido.

Dos mais de 20 artistas cujos trabalhos enchem as 100 páginas deste “Gambuzine”, um pouco menos de metade são portugueses, com destaque para Teresa Câmara Pestana, que assina 4 histórias (uma delas a partir de um texto do seu primo, Vasco Câmara Pestana) e parece ter criado escola, a avaliar pela influência do seu traço, detectável nos trabalhos de Fruzzie e Schmicko.

Além desse núcleo duro que colabora habitualmente com Teresa Câmara Pestana, há também autores nacionais vindos de outros lados, como Pedro Rocha Nogueira, que já tem trabalhos editados pelas Bedetecas de Lisboa e Beja, e Álvaro, presença habitual no catálogo da Pedranocharco, que se estreia no “Gambuzine” com “Aula de Educação Sexual”, uma divertida história protagonizada por uma professora, cujas semelhanças fisionómicas com a anterior Ministra da Educação, devem ser mais do que mera coincidência…

Para além de dar a conhecer autores alemães e austríacos pouco conhecidos em Portugal, como Ulli Lust, vencedora de um dos Prémios do último Festival de Angoulême, que foi publicada em Portugal pela primeira vez no “Gambuzine”, o fanzine de Teresa Câmara Pestana é também um espaço de liberdade para os autores portugueses, que é importante manter.

Cabe aos leitores, através da compra do “Gambuzine”, que em Coimbra se encontra à venda na Livraria Dr. Kartoon, contribuir para a sobrevivência deste belo projecto, só possível graças ao grande dinamismo da sua responsável.

(“Gambuzine” nº 2, Vários Autores, ed. Teresa Câmara Pestana, 100 pags, 10,0 €. Mais informações aqui)




_____________________________________________________________


Diário “As Beiras”, 20 de Março de 2011

BATALHA DO BUÇACO EM BANDA DESENHADA

Está cada vez mais próxima a recriação histórica da Batalha do Buçaco, que se realiza nos dias 25 e 26, e as cerimónias militares e protocolares do Exército Português, na manhã do dia 27. Esta recriação insere-se nas comemorações dos 200 anos da Batalha do Buçaco, uma vez que é o mês em que decorreu a histórica batalha.

Contudo, o programa prevê já para dia 11 a apresentação de um álbum de banda desenhada sobre o tema, da autoria de José Pires e edição da Câmara da Mealhada, e a inauguração da exposição de fotografia “O(s) Rosto(s) da Batalha”, do coronel Ribeiro de Faria.

A mostra, que conta com mais de 30 fotografias, vai permanecer nas instalações do Convento de Santa Cruz do Buçaco até ao dia 23 de Setembro. No dia 25 de Setembro, a exposição passa para o Casino do Luso, onde poderá ser vista até finais de Outubro.

Sábado, às 16H00, no Convento de Santa Cruz do Buçaco, que vai ser dado a conhecer o álbum de banda desenhada “A Batalha do Buçaco – A Derrota Final dos Marechais de Napoelão Bonaparte”. O livro, que é assinado por José Pires (reformado da publicidade e agora dedicado ao que sempre gostou de fazer: banda desenhada) e editado pela Câmara Municipal da Mealhada, vai ser apresentado ao público pelo Coronel José Geraldo, director do Jornal do Exército. A entrada é gratuita e o álbum poderá ser adquirido no local.

No que à recriação da célebre batalha diz respeito, esta será realizada por cerca de 200 participantes, oriundos de associações napoleónicas de vários países europeus. Uma reprodução a preceito, com uniformes e armamento da época, que procura reproduzir, tão fielmente quanto possível, as batalhas e os combates que se realizaram. A iniciativa começa no sábado, pelas 15H00, com um desfile pela avenida central do Luso, ao qual se seguirá uma escaramuça no Buçaco, junto ao monumento da batalha, pelas 18H00. No dia seguinte, pelas 11H00, as portas de Sula vão servir de cenário à reconstituição da Batalha do Buçaco.

_____________________________________________________________

Imagens da responsabilidade do Kuentro
_____________________________________________________________


Já agora vão ao blogue Leituras de BD, do Bongop onde, a propósito do post do autor,  A Banda Desenhada e a Crise,  está acontecer uma conversa interessante sobre o mercado da banda desenhada neste país



 
Locations of visitors to this page