sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

BDpress #302: O QUE EU PRECISO DE SABER SOBRE... BANDA DESENHADA (COM TESTE NO FINAL) - João Paulo Cotrim na revista Visão



Visão, 17 Novembro 2011
Radar

O que eu preciso de saber sobre... 
Banda Desenhada

Por João Paulo Cotrim

A BD está viva? Não será o fenómeno que explodiu de formas diferentes em vários momentos do século XX, mas continua a produzir uma diversidade de temas e estilos que tende a passar despercebida ao comum dos mortais: desenho virtuoso, experimentação gráfica, crónicas do quotidiano, narrativas de grande fôlego, abordagens históricas, tudo e de todas as maneiras lhe vai sendo permitido. Ainda que acompanhe a crise do livro e da leitura, fez-se laboratório extraordinário de maneiras de contar histórias e de criar imagens, relacionando-se de forma dinâmica com outros meios de expressão como a internet, o cinema de animação ou o cinema. Nomes como Chris Ware, Art Spiegelman, David B., Daniel Clowes ou Jira Taniguchi, entre outros, têm mantido a chama. E a queimar.

TINTIM E CORTO. Os clássicos, como estes de Hergé e Hugo Pratt, continuam a ser lidos e revisitados de todas as maneiras: em objetos, em parques temáticos, em milhentas reedições ou até selvaticamente ressuscitados como Blake & Mortimer.
Ainda há super-heróis? O clássico Super-Homem, de Siegel e Shuster, foi revisitado por inúmeros artistas e pelo cinismo contemporâneo. Clonado à náusea, morreu e ressuscitou, que o imaginário popular fê-lo imortal. Para perceber em que ponto está o género, leia-se Watchmen, de Alan Moore e Dave Gibbons.
Quando a sétima arte se apaixona pela nona... Não começou agora, este namoro, mas
Hollywood parece ter descoberto um filão no mundo dos quadradinhos (e dos super-heróis), com resultados distintos, das séries de Batman, com Tim Burton, do Homem-Aranha ou Sin City, de Miller e Rodriguez. O mais recente é o olhar de Spielberg sobre o universo de Tintim, mas mais interessantes são American Splendor, a partir de Harvey Pekar, ou Persepolis, de Marjane Satrapi.

MANGA. Akira, de Katsuhiro Otomo, pode ser porta de entrada na esmagadora e desafiante produção que, a partir da Ásia, vem mudando os modos de ler BD (na sua relação com o cinema, a televisão e o merchandising, mas também nos modos de narrar e os impactos extremos do fenómeno no quotidiano).

E a internet? Tem ajudado a tornar globais nomes que as várias geografias escondem e faz as vezes de gigantesca biblioteca, ainda que mostre apenas as historias «paradas». Vai sendo palco de experiencias (como as de Scott McCloud http://scottmccloud.com/), que, mais tarde ou mais cedo, resultarão em e-books mais dinâmicos e desafiantes.

Os heróis portugueses são os autores. A tradição nacional começou bem com Rafael Bordalo Pinheiro, que se fez extraordinária personagem dos seus comentários desenhados, assinando dos primeiros álbuns autobiográficos do mundo (Lisboa dedica-lhe um museu, também pioneiro). Seguiu-se-lhe logo Stuart, figura maior de Lisboa e do desenho de imprensa. Não se deve estranhar que, entre nós, mais do que personagens, se fale de autores: João Fazenda, Miguel Rocha, Filipe Abranches, José Carlos Fernandes, Nuno Saraiva, António Jorge Gonçalves, Tiago Manuel.

É preciso saber ler para ler BD? Basta estar disponível para aceitar que, como em qualquer linguagem, há convenções e regras básicas. Talvez a única indispensável seja vencer os velhos preconceitos que arrumam tudo o que é aos quadradinhos nas prateleiras da literatura menor, dos livros infantiloides para crianças, da leitura de casa de banho ou de «coisas» de artistas umbiguistas. Os olhos e a mão fazem o resto.

Bibliografia recomendada

STUART CARVALHAIS. QUIM E MANECAS.1915-1918
organização de Joao Paulo Paiva Boléo
(Tinta da China)

TINTA NOS NERVOS
Vários autores
(Museu Colecção Berardo)

DAS CONFERÊNCIAS DO CASINO À FILOSOFIA DE PONTA
Joao Paulo Paiva Boléo e Carlos Bandeira Pinheiro
(Bedeteca de Lisboa)

RAFAEL BORDALO PINHEIRO. FOTOBIOGRAFIA
João Paulo Cotrim
(Assirio&Alvim/Museu Bordalo Pinheiro/EI Corte Ingles)

_______________________________________________________
_______________________________________________________


João Paulo Cotrim nunca (pensamos nós de que...) se lembraria de recomendar este livro, mas, já agora o Kuentro recomenda também:


DICIONÁRIO UNIVERSAL DA BANDA DESENHADA
pequeno léxico disléxico
Leonardo De Sá
(Pedranocharco Publicações)

_______________________________________________________
_______________________________________________________

João Paulo Cotrim

Nascido em 1965, JoãoPaulo Cotrim foi diretor da Bedeteca de Lisboa entre 1996 e 2002, onde organizou inúmeras edições, exposições e iniciativas ligadas à banda desenhada. Atualmente, além de ser consultor do Centro Cultural de Belém para a área da programação literária, coordena o site Cata Livros e, com André Carrilho, anima o projeto de cartoon ilustrado Spam Cartoon

_______________________________________________________

TESTE
Avalie o seu saber

1 A Banda Desenhada também é chamada a...
   a) Nona Arte
   b) Oitava Arte
   c) Sexta Arte

2 «Estamos no ano 50 antes de Cristo. Toda a Gália foi ocupada pelos romanos"… Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor.» A que celebre série pertence este prólogo?
   a) Vasco
   b) Alix
   c) Asterix

3 Que artista suíço criou o álbum de banda desenhada?
   a) Rodolphe Töpffer
   b) Eugene Zimmerman
   c) Paul Degen

4 Que nome se dá a uma página de banda desenhada?
   a) Tira
   b) Prancha
   c) Pista

5 Quem foi o criador de Tarzan?
   a) Edgar Rice Burroughs
   b) Burne Hogart
   c) Harold Foster

6 Que célebre tira criou Winsor McCay no início do século XX?
   a) O Fantasma
   b) Cuto
   c) Little Nemo

7 Que pintor americano, expoente da Pop Art, se inspirou no formato da BD?
   a) Robert Rauschenberg
   b) Jasper Johns
   c) Roy Lichtenstein

8 Os livros de Manga, no seu formato original, devem ler-se…
   a) Da direita para a esquerda e de cima para baixo
   b) Da direita para a esquerda e de baixo para cima
   c) Da esquerda para a direita e de cima para baixo

9 As personagens de Blake e Mortimer, de Edgar P.Jacobs, foram pensadas à imagem de…
  a) Sandokan e Eanes de Gomera
  b) Sherlock Holmes e o Doutor Watson
  c) Mickey e Pateta

10 Em que revista brasileira apareceram personagens como os Skrotinhos, Meia Oito, osPiratas do Tiete e Wood & Stock?
  a) Chiclete com Banana
  b) Ca/afrio
  c) Anima/

11 Qual é o nome original do Super-Homem?
  a) Peter Parker
  b) Kal-EI
  c) Bruce Banner

12 Onde decorrem habitualmente as aventuras de Batman?
  a) Los Angeles
  b) Chicago
  c) Gotham City

13 A série Torpedo tornou-se conhecida nas mãos da dupla espanhola Jordi Bernet e Enrique Abuli, mas originalmente foi desenhada por...
  a) Alex Toth
  b) Jijé
  c) Harvey Kurtzman

14 Quem e o groomet mais conhecido da BD franco-belga?
  a) Spirou
  b) Fantásio
  c) Gaston Lagaffe

15 Qual e a personagem mais sortuda de Walt Disney?
  a) Pateta
  b) Donald
  c) Gastão

16 Como se chama o último álbum, póstumo e inacabado, da serie As Aventuras de Tintim e Milou?
  a) Tintim no Tibete
  b) Tintim e a A/ph-Art
  c) Tintim e os Pícaros

17 Porque é que, na tira Calvin and Hobbes, o menino e o tigre têm estes nomes?
  a) Porque eram os nomes do filho e do gato de Bill Watterson
  b) Por causa de Calvino e de Thomas Hobbes
  c) Porque são os nomes dos alter-egos de Bill Watterson

18 Em que cidade francesa decorre o mais importante festival de BD?
   a) Paris
   b) Aix-en-Provence
   c) Angoulême

19 Quem contou uma Fábula de Veneza?
   a) Hugo Pratt
   b) Art Spiegelman
   c) João Carlos Fernandes

20 Nos anos 70, como se chamava a mais emblemática revista portuguesa de banda desenhada?
   a) Visão
   b) Tintim
   c) Cavaleiro Andante

_____________________________________________________
Menos de 5 respostas certas: A precisar de algumas leituras
Entre 5 a 10 respostas certas: Esta na hora de rever a matéria
Entre 10 a 15 respostas certas: Competente no tema
Mais de 15 respostas certas: Um verdadeiro especialista

_______________________________________________________

Imagens da responsabilidade do Kuentro
Recorte enviado por José Manuel Pinto

_______________________________________________________

 
Locations of visitors to this page