terça-feira, 26 de junho de 2012

BDpress #351: LANÇAMENTO – SPIROU – QRN SOBRE BRETZELBURGO – João Miguel Lameiras no Diário As Beiras


Diário As Beiras, 17 Junho 2012

LANÇAMENTO 
SPIROU – QRN SOBRE BRETZELBURGO 

João Miguel Lameiras 

Trinta e cinco anos depois da sua primeira (e única) publicação em Portugal, a Asa recupera “QRN sobre Bretzelburgo”, um dos melhores álbuns de sempre da série Spirou e o álbum de Spirou de cujo argumento Greg tinha mais orgulho.

Um dos mais prolíficos argumentistas da BD franco-belga, criador de “Comanche” e “Bernard Prince” (para Hermann), “Bruno Brazil” (para William Vance), entre muitos outros álbuns e séries, Greg colaborou também com Hergé e, o que nos interessa neste caso, com Franquin.

O seu encontro com Franquin em 1957, altura em que começou a escrever os argumentos de Spirou, ajudando o desenhador que se sentia com cada vez menor inspiração para contar as aventuras do groom aventureiro, deu a Greg uma sólida reputação e prestígio como argumentista, para além de lhe ter permitido colaborar com um extraordinário desenhador, com quem muito aprendeu.

Curiosamente, no caso de “QRN sobre Bretzelburgo”, que é dos pontos mais altos da colaboração entre Franquin e Greg, o desenhador até tinha começado a escrever o álbum sozinho, sendo da sua autoria a hilariante cena inicial em que o Marsupilami engole o pequeno rádio transístor. Mas sem saber como continuar a história, depois do editor Charles Dupuis ter rejeitado a presença de Zorglub como mau da fita, acabou por falar com Greg, que se ocupou do argumento, lembrando-se de pôr o transístor a emitir sinais que foram captados por um radioamador (o QRN do título significa, no código dos radioamadores, perturbação causada por uma tempestade) dando início à aventura que leva os nossos heróis ao pequeno reino de Bretzelburgo, cujo Rei está refém dos seus conselheiros militares.

Paródia divertida e acutilante das ditaduras, com uma forte componente antimilitarista, este livro tem algumas ideias brilhantes, como as roupas feitas com jornais, e gags geniais, como o autocarro movido a pedais, ou toda a cena em que Fantásio está a ser torturado. Tudo servido pelo traço maravilhoso de Franquin, pleno de graça, elegância e dinamismo, em perfeita sintonia com os diálogos e a história que Greg escreveu. Publicado pela primeira vez em 1966, este álbum, exemplo máximo da colaboração harmoniosa entre dois génios da BD franco-belga envelheceu muitíssimo bem, e lê-se ainda hoje com prazer renovado. Os verdadeiros clássicos são assim!

(“QRN sobre Bretzelburgo”, de Franquin e Greg, Asa, 64 pags, 13,90 €) 

Ver também no blogue Por um Punhado de Imagens 




____________________________________

 
Locations of visitors to this page