sexta-feira, 7 de junho de 2013

IX FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DE BEJA — CHORUS (2 e 3) – PROJETO GIBANDA: DO PARANÁ AO BAIXO ALENTEJO — SAKURA E BANZAI


IX FESTIVAL INTERNACIONAL
DE BANDA DESENHADA DE BEJA

CHORUS (2 e 3)

PROJETO GIBANDA:
DO PARANÁ AO BAIXO ALENTEJO

SAKURA E BANZAI

A partir do Castelo de Beja, descemos a Rua Dr. Aresta Branco, fotografámos o exterior da igreja de Santa Maria e dirigimo-nos ao Cine-Teatro Pax Julia, para a exposição seguinte...

 
 A Igreja de Santa Maria

 O Teatro Pax Julia no final dos anos 1920...

Em 1945...

 ...em 1980/90...



“(...) O Teatro Pax Julia foi inaugurado em 28 de Dezembro de 1928. 
Em 1952, depois de uma grande remodelação, passou a chamar-se Cine-Teatro. 
Em 1990 fechou portas. 
Foi inaugurado como Teatro Municipal em 17 de Junho de 2005 num espectáculo com Sérgio Godinho, Rão Kyao, Vitorino, Janita Salomé e Filipa Pais (...)”


do Splaft!...

PROJETO GIBANDA:
DO PARANÁ AO BAIXO ALENTEJO

Enéas Ribeiro Corrêa

Em outubro de 2012, enquanto navegava pela internet, encontrei algumas notícias sobre as festividades do ano do Brasil em Portugal.

Achei interessante e resolvi buscar informações sobre o panorama dos quadrinhos naquele país. Pronto! Encontrei uma reportagem sobre a Bedeteca de Beja, que me chamou a atenção na hora.

Fiquei curioso com algumas similaridades com nossa Gibiteca: ambas funcionam na Casa da Cultura, ambas mantêm um curso de Histórias em Quadrinhos (ou Banda Desenhada, como preferirem), além de uma simpática escada caracol muito parecida com a nossa...

Fiz um primeiro contato via e-mail, que resultou em um contato direto com o Paulo Monteiro, via rede social. Perguntei a ele: "O que você acha de fazermos um intercâmbio dos trabalhos de nossos ateliês"? "Acho ótimo!", respondeu prontamente o Paulo Monteiro.

O próximo passo foi definir a data. Iluminado por uma sabedoria divina, o Paulo sugeriu que englobássemos o intercâmbio dentro do Festival de Beja. Pronto! Tudo pareceu tão simples e objetivo que até parece que sempre fizemos esse intercâmbio.

Em questão de dias surgia o nome e a concepção do projeto: GIBANDA: DO PARANÁ AO BAIXO ALENTEJO. GIBANDA é uma junção de Gibi, como normalmente são chamadas as Histórias em Quadrinhos no Brasil, e Banda Desenhada, como são conhecidas na Europa.

A escolha do tema da exposição foi Lendas de minha Terra. Tendo as lendas e os mitos populares como tema central dos enredos das histórias, trazemos para o cotidiano presente parte do imaginário que nos torna únicos e ao mesmo tempo um só povo.

O mais espetacular disso tudo é sabermos que laços ancestrais voltam a ser fortalecidos e agora perpetuados pelas mãos de amantes das histórias em quadrinhos. Vida longa ao projeto GIBANDA!

GIBITECA QUATRO BARRAS, PARANÁ (BR)

Quatro Barras é uma cidade com potencial nato para as Histórias em Quadrinhos.

No ano de 1997 foram publicadas as primeiras tiras de humor em nosso município, sendo Fernando Cunha e Ivam de Almeida Garrett os pioneiros. Ao longo dos anos, outras manifestações isoladas continuaram a surgir; outros artistas que produziam, em grande parte, cartuns.

Em 2010 o cartunista Enéas Ribeiro Corrêa foi convidado pela Diretora de Cultura, Meriellen Vodan, para ministrar uma Oficina de Desenho e Histórias em Quadrinhos na Casa da Cultura de Quatro Barras. A aceitação do público foi maior do que o esperado, o que resultou no convite da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer para efetivar o curso no ano seguinte. O convite foi aceito, mas com uma condição: que fosse implantada uma Gibiteca na Casa da Cultura, pois, durante as aulas, ficou clara a necessidade de materiais de referência para que os alunos pudessem produzir seus materiais.

A proposta foi prontamente aceita pelo então Secretário de Cultura, Fernando Cunha, grande incentivador do projeto. Inicialmente com 2.500 revistas em quadrinhos dos mais variados gêneros, adquiridos através de doações e de parcerias, inclusive com a Gibiteca de Curitiba — a primeira do Brasil — , no dia 26 de abril de 2011 nascia a Gibiteca Quatro Barras. Hoje, com apenas dois anos de existência, contamos com mais de 8 mil exemplares em nosso acervo, além de originais doados por artistas.

A Gibiteca de Quatro Barras é a maior da região metropolitana de Curitiba, e terceira maior do Paraná. Promove eventos, cursos, palestras e oficinas, tendo como destaque o Aniversário da Gibiteca. Nele, mestres das HQs visitam o espaço, interagindo com os alunos.

Desde seu início, o curso de Quadrinhos da Gibiteca já atendeu aproximadamente 300 alunos, em contra turno escolar, promovendo a interação e o desenvolvimento cultural e artístico, além de auxiliar o surgimento de novos talentos da nona arte.

 
 
 
 
 
 

______________________________________________________________

Depois, seguimos para a Biblioteca Municipal José Saramago, onde encontrámos a Susa Monteiro a afixar um papelinho na porta de acesso à exposição Sakura e Banzai.

 
 
OK! Voltámos depois das 14h00...

Do Splaft

SAKURA E BANZAI

Ricardo Andrade

Sakura e Banzai é uma exposição representativa de ilustrações no estilo japonês, realizada por autores japoneses e portugueses: uma união de talentos dos dois países no ano em que se comemora os 470 anos da chegada dos portugueses ao Japão.

SAKURA (Flor de Cerejeira) é uma das maiores paixões dos japoneses desde tempos ancestrais, tornando-se um símbolo do Japão em todo o mundo. A exposição SAKURA ganhou corpo a partir de um concurso de ilustração que começou em 2009 com o objectivo de dar a conhecer excelentes ilustradores japoneses ao mundo. A exposição ocorre na época do desabrochar das flores de cerejeira. Esta tem sido apresentada em cada vez mais cidades e países, ampliando a sua acção. O número de participantes tem aumentado e como consequência, a qualidade dos trabalhos também. Cada vez mais entidades têm exibido a exposição SAKURA em todo o mundo. Agora já é permitida a participação de autores japoneses e estrangeiros. Esperamos que a exposição SAKURA se torne o local onde a ilustração no estilo japonês se reúna independentemente do seu pais de origem.

BANZAI foi a resposta à influência do Japão na arte e na banda desenhada ocidentais, cada vez mais forte, e constituiu-se a partir do desenvolvimento do projecto de mentoria "Senpai Project". Assume-se como um veículo de divulgação de talentos no estilo japonês, quer na área do manga, quer na área da ilustração.

A BANZAI complementa a exposição SAKURA fazendo a ponte entre dois extremos geográficos, mas com uma base artística comum.
















___________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page