quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DA AMADORA / AMADORABD (1): AS PRANCHAS EXPOSTAS E OS LIVROS NÃO VENDIDOS.



A zona privilegiada do Amadora BD (como em qualquer outro Festival), para os amantes da nona arte, terá de ser sempre a Praça dos Livros – não Praça Sul, como o comissariado do festival desinspiradamente lhe chama – onde estão todos os stands de vendas de livros, porque o livro (ou o jornal, ou a revista) é o suporte físico por excelência da Banda Desenhada, cujo fim único é a leitura.

A exposição de originais de pranchas de BD é apenas uma exibição dos dotes, técnicas e porventura, das personalidades dos seus autores. Não servem para ler por completo os conteúdos, que subliminarmente também desenvolvem, ou apenas ilustram. Uma prancha de BD, por si só, não é uma obra de arte, daí que a sua exibição não possa ser encarada como se fosse uma obra de pintura, ou até de desenho puro. Sem o texto, a prancha desenhada é um objecto inútil - salvo muito raros casos de BDs sem qualquer texto (Arzac,  de Moebius, por exemplo). E como a esmagadora maioria (se não mesmo a totalidade), das pranchas expostas nos Festivais de BD, não apresenta os textos que as completam, elas são inúteis como demonstração daquela a que se chamou Nona Arte.

NÃO É UMA PRANCHA BEM “ESGALHADA”, ESTÉTICAMENTE CONSEGUIDA, VISUALMENTE ATRACTIVA, QUE FAZ UMA BOA BANDA DESENHADA, MAS SIM UMA BOA HISTÓRIA - JÁ AGORA, BEM CONTADA!!!

É preciso que o público tenha a consciência disto: o que está a visitar, quando visita um Festival de BD, são exposições de objectos em si só inúteis, que apenas se completam no seu meio físico por excelência: o livro impresso!!!

Daí que comprar livros deveria ser o final lógico de uma visita bem sucedida, às exposições do Festival.

Não é por acaso que nos Estados Unidos, Japão, etc… as chamadas Comics Conventions, não exibam pranchas, são apenas grandes concentrações de editores e livreiros, em que o público compra livros nos stands e acede aos autores para obter os autógrafos que lhes interessam. Foram os europeus que inventaram as exposições de originais de pranchas.

Serve esta entrada para tentar motivar eventuais futuros visitantes do FIBDA/AmadoraBD, a comprarem livros, ajudando assim, a afastar o já previsível funeral desta indústria da Banda Desenhada em Portugal.

Aqui ficam as imagens do 1º fim-de-semana do 21º FIBDA/AmadoraBD e alguns dos livros a lançar no próximo fim-de-semana:

Animação infantil: Peça de Teatro, por Pedro Leitão e amigos. Criança a ler BD na Praça dos Livros do FIBDA!!!

Os autógrafos...

Benoït Peeters e Francois Schuiten

Fil e Alphonso Azpiri



Kim Hakhyun e Joana Afonso (com Richard Câmara)

Aude Samama e Diferr

Richard Câmara e Paulo Monteiro




    





VISITEM O AMADORA BD E... COMPREM LIVROS!!!
 __________________________________________

 
Locations of visitors to this page