quarta-feira, 12 de março de 2014

EROS UMA VEZ... O HUMORISTA ZÉ MANEL – EXPOSIÇÃO DE TRABALHOS DE ZÉ MANEL NO CNBDI – INAUGURA AMANHÃ – DIA 13 DE MARÇO


EROS UMA VEZ... 
O HUMORISTA ZÉ MANEL

EXPOSIÇÃO DE TRABALHOS DE ZÉ MANEL NO CNBDI

INAUGURA AMANHÃ – DIA 13 DE MARÇO 



Síntese biográfica de Zé Manel

 José Manuel Domingues Alves Mendes (Zé Manel)

[...] Estudante em Litografia na Escola António Arroio, foi um artista precoce, cedo ingressando nos media. Aos quatro anos, o Pim-Pam-Pum! publicava a sua fotografia. A revista O Século Ilustrado mostrava os seus primeiros desenhos, aos seis anos, acompanhados de fotografia e reportagem biográfica. Em 1959, publicou as primeiras anedotas em Os Ridículos. Em 1961, com dezassete anos, estreava-se profissionalmente como ilustrador de cartoons em Parada da Paródia. Nunca parou de fazer anedotas ilustradas, numerosas capas e, de quando em quando, uma ou outra banda desenhada. Em 1968, o cartoonista, em plena maturidade artística (e física), ilustrava eroticamente o respeitável Jornal do Exército, com decorações de contos e anedotas ’à maneira’ — para as quais criou personagens femininas dignas de emparceirar com quaisquer bunnies, tipo ’Jane’ ou ’Miss Lace’, dos jornais militares ou similares, ingleses ou americanos. Continuou a veia humorística e erótica em Rádio & Televisão, O Emigrante, Bomba H e A Chucha. Mostrou também as suas capacidades como desenhador de HQ e ilustrador de contos infantis em numerosos livros didácticos. A lista das suas realizações no campo gráfico é impressionante: Magazine Regisconta (desde Fevereiro de 1975), O Brincalhão, Jornal da Costa do Sol, O Cágado, Pisca-Pisca, Mini-Época, Fungagá da Bicharada, O País, Diário de Notícias, Oui Magazine, O Brincalhão, Pão Com Manteiga, etc. Filho único do malogrado Méco (que também foi excelente nos mesmos campos gráficos, e cuja memória continua a honrar no quotidiano), Zé Manel é também um saboroso desenhador de raparigas. Recolheu em álbum as suas experiências da revolução dos cravos, no álbum In Politiquices, não datado de 1976. Em 1980, por ocasião das eleições presidenciais, tornou-se ainda ’culpado’ de uma sátira política em banda desenhada intitulada Os 7 Magníficos Pretendentes (desdobrável de 8 págs., com ’Amor!, Violência! Ciúme!’). Tem notável participação no Tertúlia BDzine. Está representado na colecção do museu Sammlung Karikaturen & Cartoon, de Basel, na Suíça.

Extracto do Dicionário dos Autores de Banda Desenhada e Cartoon em Portugal
de Leonardo De Sá e António Dias de Deus
© 2001


No XVIII Salão Internacional de BD de Moura 2013 (MouraBD) a exposição dos trabalhos de Zé Manel teve direito a um excelente catálogo (com um DVD anexo que se estendeu por toda a obra do autor que não coube no Catálogo e que foi muita coisa) numa produção da Humorgrafe/Osvaldo de Sousa.


Fotos da exposição de Zé Manel no MouraBD 2013


Zé Manel, a esposa e o filho, no jantar durante o MouraBD 2013


____________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page