segunda-feira, 28 de maio de 2012

REPORTAGEM – VIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DE BEJA’2012 (1)


A ilustração do cartaz deste ano, de Susa Monteiro (como sempre), mostrando o original, a três dimensões.

REPORTAGEM
VIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DE BEJA’2012 (1) 

Concretizou-se mais um Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, o oitavo, em ano duro da famigerada crise económico/financeira (e de ideias, penso que sobretudo), que levou a que o Festival tivesse sido erguido com um orçamento na base dos zero euros, dadas as complicações orçamentais por que passa a Câmara Municipal da cidade. Contudo, creio que por não ter sido possível, por motivos óbvios, levar a Beja autores internacionais, que nos anos anteriores garantiram sempre bons números de visitantes exteriores à cidade no primeiro fim-de-semana, desta vez a “tribo” bedéfila esteve lá, sim senhor, mas em formato algo reduzido. Juntando à ausência de “estrelas” internacionais, a impossibilidade de haver dormidas pagas pelo município com jantar de sábado e almoço de domingo grátis, como de costume, a militância não foi tão intensa. Mesmo assim o quadro de visitantes esteve bem composto, como se costuma dizer.

O que fica desta edição do F.I.B.D.Beja 2012 é a constatação de que se consegue fazer sempre alguma coisa que atraia as pessoas, quando toca a reunir. Claro que o trabalho monstro que a reduzida equipa da Bedeteca de Beja teve, para arregimentar elementos a expor e montar as 12 exposições que foram apresentadas ao público, em cerca de três semanas, é coisa que terá de figurar nos anais da bedéfilia portuguesa. E daqui aplaudimos e agradecemos a Paulo Monteiro e à “sua” equipa.

Foram lançadas edições de livros e apresentadas outras, o que mostra, pelo menos, o instinto de sobrevivência da edição de Banda Desenhada neste país, embora o público (a maioria do público), conte os tostões nas carteiras rapadas e tenha, por vezes, que optar pela compra de apenas um título, na melhor das hipóteses – para a maioria do público a única hipótese é mesmo só folhear os livros nos escapartes.

A Sangue Violeta e Outras Histórias, de Fernando Relvas, publicado pela ElPep – uma compilação do material publicado no saudoso semanário Se7e – e Hän Solo, de Rui Lacas, editado pela Polvo, juntou-se Manegas, o Indignado, de Pedro Manaças, em edição de autor. Não assisti ao lançamento de O Infante Portugal e as Sombras Mutantes, de José Matos-Cruz, nem ao da revista Zona i1 (?). Mas dei uma olhadela ao lançamento (e aqui ficam as minhas desculpas ao editor/organizador e aos autores, mas confesso que já não tenho grande paciência para sessões destas) do mega-fanzine Efeméride nº5, de Geraldes Lino, com o título Corto Maltese no Século XXI, que reúne 45 autores, numa paródia (nostálgica) à personagem principal de Hugo Pratt. 



Esclarecimento do André Oliveira no Facebook ao meu (?) na Zona i1:   O nome da edição é Zona i1. Ou seja, Zona i (de edição internacional porque os trabalhos estão traduzidos em inglês) e 1 porque é a primeira edição. Obrigado, André, é o que dá não ir às apresentações!!!

Aqui ficam, por hoje, as fotos e imagens relacionadas com livros e outras publicações.


O Festival, este ano, só editou o Splaft (aqui, a contracapa e capa, com ilustrações de Julio Shimamoto) - em fotocópia e já foi bom - o programa (abaixo) e o cartaz, que já conhecemos dos posts anteriores.


O Mercado do Livro esteve com boa apresentação de títulos...



 Lançamento do fanzine Efeméride nº 5 - Corto Maltese no Século XXI 


EFEMÉRIDE 
Fanzine dedicado a homenagear personagens da Banda Desenhada N° 5 - Julho de 2012 

Título da obra 
Corto Maltese no Século XXI 

Autores das bandas desenhadas (desenhadores e argumentistas) por ordem alfabética: 

Alice Geirinhas Álvaro; Ana Madureira André Ruivo; ARechena (Andreia Rechena, Dona Zarzanga); Arlindo Fagundes; Carlos Páscoa; "Zíngr" (Carlos Zíngaro); Daniel Lopes; David Campos; David Soares; Falcato (Miguel Falcato); Ferrand (Ricardo Ferrand); Filipe Abranches; J. Mascarenhas; JCoelho (Jorge Coelho); Joana Afonso; João Chambel; João Sequeira (JAS); José Lopes; José Pedro Costa; Lam (João Pedro Lam); Luís Guerreiro; Luís Pedro Cruz; Machado-Dias; Marco Mendes; Maria João Careto; Mota (Pedro Mota); Nazaré Álvares; Nuno Saraiva; Paulo Monteiro; Pedro Massano; Pedro Nogueira; Pepedelrey (ElPepe); Regina Pessoa; Renato Abreu; Ricardo Cabral; Ricardo Cabrita; Roberto Macedo Alves; Rui (Rui Pimentel); Santo (Ricardo Santo, Ricardo Santo Machado); Susa (Susa Monteiro, Susana Monteiro); Tiago Baptista; Vasco Gargalo; Victor Mesquita 

Capa 
Regina Pessoa 

Contracapa 
JCoelho / David Soares 

Design e paginação Jorge Silva 

Tiragem 
150 exemplares 

Editor 
Geraldes Lino 
Apartado 50273 
1707-001 Lisboa

 Lançamento do livro Sangue Violeta e Outras Histórias, com o autor, Fernando Relvas e o editor, Pepedelrey







Amanhã veremos os Autógrafos e o Jantareco...



VIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DE BEJA 

Organização: Câmara Municipal de Beja Presidente: Jorge Pulido Valente Vice-Presidente: José Velez Vereadora do Pelouro da Administração e Finanças: Cristina Valadas Vereador do Pelouro da Cultura e Património: Miguel Góis Chefe da Divisão de Gestão Cultural e Juventude: Francisco Marques Chefe da Divisão de Bibliotecas: Paula Santos. 

Direcção de Projecto: Paulo Monteiro Direcção Adjunta: Nuno Sousa e Susa Monteiro Apoio de Comunicação: Mariette Vilela e Nuno Sousa Arquitectura de Espaços: Paulo Monteiro e Susa Monteiro Linha Gráfica do Festival: Susa Monteiro Desenho do Cartaz: Susa Monteiro Website: Nuno Sousa e Susa Monteiro Pintura de Cenografia: Pedro Ventura Manuseamento de Originais: António Amaro, Nuno Sousa, Paulo Monteiro, Pedro Ventura, Susa Monteiro e Vete Logística: António Santos e Pedro Ventura Bedeteca de Beja: Paulo Monteiro, Nuno Sousa e António Amaro Casa da Cultura: Paulo Monteiro, António Amaro, António Santos, João Baltazar, Mariana Paizano e Mariette Vilela.

__________________________________________________________


 
Locations of visitors to this page