sábado, 8 de Janeiro de 2011

BDpress #211: QUADRADINHOS SALTAM DO PAPEL (Pedro Cleto no JN de hoje, 8Jan2011) + DOS COMICS PARA A VIDA REAL – A INCRÍVEL HISTÓRIA DE Phoenix Jones, O SUPER–HERÓI DE SEATTLE

A Banda Desenhada anda com tendência para “saltar do papel”. Pelo menos é o que salta destes dois textos cujos recortes aqui postamos hoje. Seja para o 3D, como relata Pedro Cleto no JN de hoje, ou a incrível história de Phoenix Jones, o “super-herói” mascarado de Seattle, que pela noite dentro ataca e prende os criminosos que apanha em flagrante delito…


Jornal de Notícias, 8 Janeiro 2011

QUADRADINHOS SALTAM DO PAPEL

F. Cleto e Pina

Se em termos temáticos o suporte físico nunca foi uma prisão para os heróis dos quadradinhos, a verdade é que ocasionalmente, ao longo de décadas, eles tentaram fugir aos limites das duas dimensões do papel. A tentação pelas 3D era forte de mais...

Não me refiro à passagem a outros meios, que tem acontecido recorrentemente, desde os primórdios da própria BD enquanto género popular - em filmes e séries televisivas ou mesmo em espectáculos musicais ou teatrais - mas sim a histórias aos quadradinhos publicadas em 3D. Que, tal como acontece com os filmes hoje em voga, em especial no que à animação diz respeito, estão longe de ser novidade.

A exemplo do cinema, para que o leitor possa desfrutar do efeito tridimensional pretendido, necessita de um par de óculos especiais, neste caso com uma lente vermelha e outra azul. E, tal como no grande ecrã, a sua não utilização transmite a sensação de que as imagens estão desfocadas.

Ao contrário do que se possa pensar, na maior parte dos casos, as obras não são criadas de origem para serem impressas em 3D. Este efeito é obtido, imprimindo em duplicado cada imagem, em duas cores diferentes, com um ligeiro desfasamento. Na prática, isto potencia o chamado efeito de paralaxe já existente na visão humana, fazendo o uso dos óculos com que cada um dos olhos veja uma das imagens, recebendo o cérebro a sensação de profundidade.
As primeiras experiências de quadradinhos a três dimensões, datam dos anos 50, quando as imagens em 3D tinham grande popularidade. Como não podia deixar de ser, um dos primeiros heróis escolhidos foi Superman, mas os resultados não foram famosos, quer porque parte das legendas foi também submetida ao mesmo tratamento, o que as tornou ilegíveis, quer porque ao fim de pouco tempo os óculos provocavam dores de cabeça.

Igualmente da mesma época é uma revista 3D do Mighty Mouse, que causou como que uma "experiência religiosa" em Ray Zone, então com seis anos, como ele revela no seu site (ver AQUI), tendo decidido dedicar a sua vida ao 3D.Por isso, Zone, desde os anos 80, para além de ter participado na produção de diversos filmes de animação e com actores, é o responsável por quase todas as edições de BD do género publicadas nos Estados Unidos, algumas mesmo de sua autoria.

O que na prática representa quase centena e meia de títulos de dezenas de editoras, alguns obscuros, outros protagonizados por heróis bem conhecidos como Spirit, Steve Ropper, Krazy Kat, Phantom, Simpsons, Superman, Batman, Donald, Mickey, Patinhas, Roger Rabbit, Transformers, X-Men, Hulk ou Flash Gordon, aplicando Zone a sua técnica à arte "plana" de alguns dos maiores nomes da banda desenhada, em edições quase sempre de número único, destinadas a assinalar alguma data marcante ou utilizadas como truque de marketing.


CAIXA:
CAPTAIN WONDER NO PASSO SEGUINTE

A ser verdade o que a Image Comics anuncia há já algumas semanas, o one-shot "Captain Wonder", a lançarem Fevereiro, apresentará o mais avançado 3D alguma vez utilizado em quadradinhos que, no entanto não dispensará os tradicionais óculos, como habitualmente oferecidos com a revista. Escrito e desenhado por Brian Haberlin e Philip Tan, com experiência em séries como Wltchblade, Spawn, Green Lantern ou X-Men, narra a história do Captain Wonders, desaparecido após 24 anos de generosos serviços em prol dos seres humanos, estando agora todas as esperanças depositadas em Billy Gordon, um menino de 10 anos, que é o único a saber do seu paradeiro. Até agora a editora apenas disponibilizou a capa, onde o efeito tridimensional está bem patente, e três páginas anteriores à aplicação do 3D.

A Image Comics já tinha feito uma forte aposta na banda desenhada 3D em 1997 e1998, publicando dessa forma Wild C.A.T.S., Gen 13 ou Astro City, alguns dos seus principais títulos.



___________________________________________________________


IOL diário, 7 Janeiro 2011

SUPER-HERÓI COMBATE CRIME NAS RUAS DE SEATTLE

Vestido de collants justos e fato preto e dourado, capa aos ombros e máscara a condizer Phoenix Jones não dá tréguas a bandidos

Um super-herói da vida real está a provocar furor nas ruas de Seattle, nos Estados Unidos, com o combate feroz que faz ao crime e aos criminosos. Com collants justos, máscara e um fato de lycra preto e dourado, Phoenix Jones, não dá tréguas aos bandidos.

Phoenix Jones está ainda equipado, avança a Skynews, com um colete à prova de bala e anda armado uma arma taser (de atordoamento) e gás lacrimogéneo. Phoenix diz que quando entra em cena, os criminosos fogem e têm medo de o enfrentar.

A história de Phoenix é em muitos pormenores (mais ainda!) semelhante às dos super-heróis da banda desenhada: todas as noites, ele entra numa loja de livros aos quadradinhos e, num compartimento secreto, troca a roupa de cidadão normal pelo fato preto e dourado de super-herói.

Um dos casos «resolvidos» por Phoenix foi o de Dan. Quando voltava para o parque de estacionamento, deparou-se com um homem a tentar arrombar-lhe o carro com um pé-de-cabra. Tentou ligar para a polícia, mas antes que conseguisse estabelecer a ligação, o herói já tinha domado o suposto ladrão.

Phoenix é apenas um exemplo de um autêntico movimento nas ruas de Seattle. Há oito outros membros do grupo chamado Rain City, que também andam pelas ruas, vestidos a rigor, a vigiar criminosos.

E a vida de super-herói não é fácil: em nove meses, já foi esfaqueado e ameaçado com uma arma várias vezes, mas sempre incidentes sem gravidade.

Algumas imagens de Phoenix Jones:

 No compartimento "secreto" de uma loja de comics, 
troca a roupa normal pela fatiota de super-herói...

 E lá vai ele caçar bandidos...


__________________________________________________________

Imagens da responsabilidade do Kuentro.
__________________________________________________________

O POST DE AMANHÃ:


_________________________________________________________



Sem comentários:

Enviar um comentário

 
Locations of visitors to this page