domingo, 23 de fevereiro de 2014

25 DE ABRIL – 40 ANOS – JOSÉ AFONSO 2 de Agosto de 1929 – 23 de Fevereiro de 1987


JOSÉ AFONSO 
2 de Agosto de 1929 – 23 de Fevereiro de 1987

Fazem precisamente hoje 27 anos que morreu José Afonso, 
vítima de esclerose lateral amiotrófica. 

Não faria qualquer sentido comemorar os 40 anos do golpe de 25 de Abril de 1974 
sem falar de José Afonso (2 de Agosto de 1929 – 23 de Fevereiro de 1987) 
e assinalar este aniversário da sua morte.

Juntámos aqui quase todas as capas dos discos que gravou (faltam as de alguns EPs anteriores a 1964) como homenagem à sua obra, algumas fotos e dois momentos musicais marcantes do seu percurso: Os Vampiros (1963) e A Morte Saíu à Rua (1972) como homenagem a José Dias Coelho (Pinhel, 19 de Junho de 1923 — 19 de Dezembro de 1961, morto pela PIDE) que foi um artista plástico e militante político anti-fascista.

A melhor biografia de José Afonso que encontrámos na internet, pode ser lida AQUI.

ALGUNS DADOS

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, conhecido mais simplesmente por Zeca Afonso (Aveiro, 2 de Agosto de 1929 — Setúbal, 23 de Fevereiro de 1987). Oriundo do fado de Coimbra, foi figura central do movimento de renovação da música portuguesa que se desenvolveu na década de 1960 e se prolongou pela de 1970, sendo dele as mais conhecidas canções de intervenção contra o Regime politico derrubado a 25 de Abril de 1974. José Afonso ficou, pela sua música e pelas perseguições da PIDE de que foi alvo, indelevelmente associado ao derrube do Estado Novo, o regime ditatorial de Salazar e Marcello Caetano vigente em Portugal entre 1933 e 1974, até porque uma das suas composições, "Grândola, Vila Morena", foi utilizada pelo Movimento das Forças Armadas (MFA), comandado pelos "Capitães de Abril", como senha (radiofónica) para o início das operações militares na madrugada de 25 de Abril de 1974. 

Muitas das suas canções continuam ainda hoje a ser gravadas por numerosos intérpretes portugueses e estrangeiros. Calcula-se que existam actualmente mais de 300 versões de canções suas gravadas por mais de uma centena de intérpretes, o que faz de Zeca Afonso um dos compositores portugueses mais divulgados a nível mundial. O seu trabalho é reconhecido e apreciado pelo país inteiro e Zeca Afonso, com a incidência política que as suas canções ganharam, indiscutivelmente representa uma parte muito importante da cultura poética portuguesa ligada à luta contra o regime do Estado Novo.

Fausto, Adriano Correia de Oliveira e José Afonso, Luanda, Abril 1975

Coliseu de Lisboa, em 1983, José Afonso no meio de todos os seus amigos. 
Faltou Adriano Correia de Oliveira, falecido no ano anterior. 
Entre muitos, podemos ver, da esquerda para a direita: José Fanha, Sérgio Mestre, Vasco Lourenço, Júlio Pereira, Janita Salomé, Otelo Saraiva de Carvalho, José Afonso, Rosa Coutinho, Luís Cília, Vitorino, Fausto, Francisco Fanhais, Sérgio Godinho, Octávio Sérgio, Sérgio Azevedo, Rui Pato, Durval Moreirinhas e Lopes de Almeida.

ALGUNS EPs

1962 - 1964
1964
1964

TODOS OS LPs

1968 - 1969
1970 - 1971
1972 - 1973
1974 - 1976
1978 - 1979
1981 -1982
1983
1985

A Morte Saiu à Rua.
Para ver e ouvir, clicar em cima da imagem.

OS VAMPIROS Zeca Afonso em 29 de Janeiro de 1983, no Coliseu
Para ver e ouvir, clicar em cima da imagem.

_________________________________________________________________


 
Locations of visitors to this page